Categorias
Noroeste

Noroeste vence mais um confronto direto e chega ao G-2 da Bezinha

retranca-bezinha(Direto do Alfredão) Hoje o dia amanheceu cinza, mas não tinha problema. Era da cor da minha camisa nova do Norusca, o belo manto de goleiro que o Aranha usa. Fui buscá-la na Rubro Mania e comprar o ingresso do meu sogro, que gosta mais de amendoim do que de futebol, mas creio ter se divertido com a emocionante vitória do Noroeste sobre a Inter de Bebedouro, goleada de 1 a 0 num animado Alfredo de Castilho com cerca de 1.500 torcedores.

Chegando ao estádio, já fiquei emocionado de ver duas famílias se cumprimentando, todo mundo fardado. Avô, pai, mãe, molecada, papagaio. Quem acha que esse time não tem torcida não sabe nada de futebol, de paixão. Tinha tanta camisa velha, com Tilibra, uma meio quadriculada que eu nem sabia que a Kanxa já havia vestido o clube, outra dos tempos magros, quando a Globo Sport fazia… E do modelo novo, um monte, fruto da bem sucedida reativação da loja oficial pela Associação Avante, Rubro!

A fila era grande, acredite, e foi preciso improvisar na bilheteria porque não havia mais ingressos impressos. Achei um lugarzinho bacana, no rumo do centro do campo, pertinho da batuqueira da Sangue, pra ritmar o coração e garantir que ele não parasse, porque aquela bola no último minuto…

O artilheiro Hygor Silva foi caçado durante toda a partida
O artilheiro Hygor Silva foi caçado durante toda a partida

O registro fotográfico eu fiz, mas me permiti curtir o jogo no gogó, com a galera, no lugar de ficar sofrendo sozinho lá na cabine dedilhando um notebook. Assim, sem chance de descrever com fidelidade a sequência das jogadas. Sei que o primeiro tempo foi de chorar, pegado demais, jogado de menos, sem susto para nosso goleiro, mas igualmente sem sujar o uniforme do arqueiro adversário.

Na volta do intervalo, aí sim, emoções. O Alvirrubro voltou com Gustavo Henrique no lugar de Luciano, isto é, deixou de ter três zagueiros para ter três atacantes. Mas foi o beque Rafael Pontoli quem fez jogada de ponta e levou o primeiro perigo. Não sem antes tomarmos um susto com uma finalização no pé da trave… Aí o Norusca acordou, pressionou. Até Gustavo encontrar Edson Negão sozinho na entrada da área e o camisa 9, aos 22min, tocar no cantinho.

Depois do gol, claro que a Inter, fazendo cera até então, iria correr atrás do prejuízo. Mas Aranha estava lá, com sua bela camisa cinza e sua raça habitual. A única que passou dele, Sávio salvou em cima da linha, no apagar das luzes. Tem que ser sofrido, para o noroestino. Mas como lava a alma.

O Norusca finalmente alcança a segunda posição do grupo 4, com 13 pontos, deixando para trás São Bernardo (12), Manthiqueira e Inter (ambos com 11) e o Lemense, com dois. O Fernandópolis lidera com 17.

Na próxima rodada, os bauruenses vão a Leme encarar o lanterna (dia 18/out, às 10h). Uma combinação de resultados pode fazer com que o Vermelhinho suba por antecipação — se vencer o Lemense, se o Fernandópolis empatar com o São Bernardo e se Manthiqueira e Inter empatarem. Faca e queijo na mão de Vitor Hugo e companhia, nessa bela arrancada que já acumula três vitórias seguidas.

ABRE ASPAS
Falei com alguns protagonistas da tarde:

O artilheiro Hygor Silva, que passou em branco, mas incomodou a zaga adversária e abriu espaços:

 

O zagueirão Rafael Pontoli, que deu segurança à defesa e ainda se aventurou no ataque:

 

O lateral-esquerdo Sávio, que tirou a bola de cima da linha no finalzinho:

 

O Noroeste venceu jogando com Aranha; Rafael Pontoli, Luciano (Gustavo Henrique) e Marcelinho; Ian, Makelelê, Alison José, Léo Cunha e Sávio; Edson Negão (Luiz Azevedo) e Hygor Silva (Rafael Melauro).

Categorias
Noroeste

Hygor Silva decide mais uma vez e mantém Noroeste na luta pelo acesso

retranca-bezinhaTudo deu certo para o Noroeste nesta sétima rodada da segunda fase da Bezinha. No Alfredão, o Alvirrubro conseguiu manter sua arrancada ao vencer partida fundamental contra o Manthiqueira, por 3 a 2. Pra melhorar, o líder Fernandópolis apenas empatou com o lanterna Lemense, enquanto Inter de Bebedouro e São Bernardo igualmente marcaram um ponto cada.

Assim, O Norusca chega a dez pontos e está a apenas um do G-2 do grupo 4, isto é, da sonhada vaga na Série A-3. No próximo sábado (10/out), às 16h, recebe a Inter no Alfredão.

Como de costume, o Noroeste contou com a inspiração de seu artilheiro, Hygor Silva — por pouco o menino não pede música no Fantástico.

Faltando três partidas, sendo duas em casa e uma fora contra o lanterna, a esperança da galera se multiplica.

noroeste-manthiqueiraBOLA ROLANDO
A atuação noroestina não é brilhante, mas cheia de garra desde o início. De cara, Pirinha e Negão criam duas oportunidades que param no goleiro adversário. Finalmente, o Norusca abre o placar aos 20min, com Hygor Silva, que toca na saída do goleiro após belo lançamento de Makelelê. O Manthiqueira, entretanto, empata quatro minutos depois, com Medina aproveitando rebote da defesa noroestina. Ainda bem que o Vermelhinho consegue ir para o vestiário em vantagem: Pirinha infiltra, bate cruzado e o goleiro Pedrão aceita, aos 38.

O Noroeste vacila no início da segunda etapa, permitindo ao visitante criar jogadas. Aos 11, o castigo: Léo completa, de cabeça, cobrança de falta. Mas a torcida nem sofre muito, porque tem o artilheiro do campeonato: aos 16, Hygor faz o mesmo que o adversário, completa bola aérea — bela cobrança de Sávio. A partir daí, o Alvirrubro segue buscando mais um gol, mas também se expõe e é salvo por defesa milagrosa de Aranha nos minutos finais. Ufa!

ABRE ASPAS
Entrevistas ao repórter Jota Augusto, da Auri-Verde 760AM.

“Vencemos um adversário forte, que não à toa está na nossa frente. O time trabalhou bastante durante a semana e mostrou superação”, disse o técnico Vitor Hugo.

“Encontramos dificuldades, eles tocam bem a bola. Mas nada para o Noroeste é fácil! Essa vitória vai ter um sabor especial quando a gente conseguir o acesso”, celebrou o zagueiro Marcelinho.

O Noroeste venceu jogando com Aranha; Luciano, Rafael Pontoli e Marcelinho; Alisson Pirinha, Bira, Makelelê, Alison José (Léo Freitas) e Sávio (Ian); Edson Negão (Léo Cunha) e Hygor Silva.

 

 

Fotos: Sérgio Pais/GloboEsporte.com

Categorias
Noroeste

Noroeste vence São Bernardo fora de casa e segue no páreo

retranca-bezinhaO Noroeste não merecia ter perdido na estreia da segunda fase do grupo 4, no Alfredão, para o E.C. São Bernardo. Por isso, era fundamental devolver a derrota na casa do time do ABC, mesmo que no péssimo gramado sintético do Baetão — que tirou Edson Negão e Luiz Azevedo de combate durante a partida. Ela veio com uma blitz no primeiro tempo e a chuva (bendita chuva!) ajudou a esfriar o ímpeto dos donos da casa. Dessa forma, o Noroeste venceu p0r 2 a 1, chegou a sete pontos e segue vivo. No duelo de líderes, o Fernandópolis bateu a Internacional e chegou a 13, deixando a equipe de Bebedouro com dez. O Manthiqueira, com oito, pega Lemense (um). Bem que o lanterna poderia aprontar…

O Alvirrubro abriu o placar logo aos 2min, com Edson Negão acertando belo chute de fora da área. Aos 29, Alison José tabelou com Rafael Melauro e ampliou. O centroavante Washington descontou de cabeça ainda no primeiro tempo, aos 41.

Agora, recebe o Manthiqueira na próxima rodada. É vencer, ganhar ou triunfar.

O Noroeste venceu o jogando com Aranha; Bira, Rafael Pontoli e Marcelinho; Alisson Pirinha (Gustavo Moreira), Alison José, Makelelê, Luiz Azevedo (Luciano) e Sávio; Edson Negão (Rafael Melauro) e Gustavo Henrique.

ABRE ASPAS
“Nos superamos dentro de campo, depois de uma semana difícil, emque sairam companheiros de equipe. Mas é isso, temos que ter perseverança”, disse o zagueiro Bira ao repórter Jota Augusto, da Auri-Verde 760AM.

“Valeu a vitória. Voltamos para o campeonato e agora vamos com tudo”, comemorou o vice-presidente Rafael Padilha, que ficou no banco como auxiliar técnico.

“Foi uma entrega muito grande e o resultado nos devolve ao campeonato. Faltam quatro partidas, sendo três ao lado do nosso torcedor”, comentou o técnico Vitor Hugo.

 

Foto: reprodução fanpage do E.C. São Bernardo

Categorias
Noroeste

Derrota em Fernandópolis obriga Noroeste a ser perfeito no segundo turno

retranca-bezinhaA derrota para o Fernandópolis, por 2 a 1, nessa sexta-feira (18/set), fora de casa, foi um duro golpe para o Noroeste. Passada metade dos dez jogos dessa segunda e decisiva fase da Série B paulista, o Norusca soma apenas quatro pontos (uma vitória, um empate, três derrotas) e figura em penúltimo na classificação do grupo 4.

É preciso esperar o fim da quinta rodada, mas já é sabido que o Norusca terá que tirar seis pontos de diferença em relação à zona do acesso (o Fernandópolis chegou a dez).

Olhemos a tabela noroestina no segundo turno:
São Bernardo, fora: arrancar um empate no campo sintético e tirar dois pontos de um time da ponta já será uma façanha.
Manthiqueira, em casa: obrigação vencer no Alfredão.
Inter de Bebedouro, em casa: obrigação vencer no Alfredão.
Lemense, fora: quem quer subir tem que vencer o (hoje) lanterna, onde for.
Fernandópolis, em casa: obrigação vencer no Alfredão.

Traduzindo, o Noroeste pode somar mais 12 ou 13 pontos e chegar a 16 ou 17. Tem que fazer isso e secar os outros. Não tem outro jeito.

BOLA ROLANDO
Em resumo, foi mais uma partida — e nas três derrotas foi assim… — em que o cochilo defensivo puniu o Noroeste, que abriu o placar aos 24min, com o artilheiro Hygor Silva (18º gol na competição), mas permitiu empate aos 45 (!), em chute de longe de Billy. Minutos antes, Hygor havia sido expulso após receber o segundo amarelo. Um desfalque e tanto para a dura partida contra o São Bernardo.

No segundo tempo, com um homem a menos, o Alvirrubro teve dificuldades para ameaçar o Fefecê, que chegou ao segundo gol aos 15, com Guina. A expulsão de Gabriel igualou as peças em campo e Vitor Hugo mandou o time para o ataque, colocando o meia Thiago Cardim e o atacante Gustavo Henrique — que perdeu gol cara a cara com o goleiro no finalzinho do jogo.

O técnico Vitor Hugo, em entrevista a Jota Augusto (Auri-Verde 760AM), disse que só resta ao Noroeste vencer todas e que há jogadores que podem dar um pouco mais. Os retornos de Marcelinho e de Marcelo Santos na próxima partida (sexta, 25/set, às 20h) são um alento.

Só resta acreditar!

O Noroeste perdeu jogando com Guilherme; Alisson Pirinha, Bira, Rafael Pontoli e Ian; Capixaba (Alison José), Makelelê, Luiz Azevedo (Gustavo Henrique) e Gustavo Moreira (Thiago Cardim); Edson Negão e Hygor Silva.

 

Foto: Cristiani Simão/Jornada Esportiva

Categorias
Noroeste

Noroeste goleia Lemense na estreia do técnico Vitor Hugo

retranca-bezinha(Direto do Alfredão) Sabadão animado, este. Depois de conferir a vitória do Bauru Basket sobre Limeira, bastaram alguns passos da Panela à morada dos eucaliptos para conferir a vitória do Noroeste sobre o Lemense, por 4 a 1. Numa friaca, amigo… Foi o primeiro triunfo alvirrubro na segunda fase da Série B do Campeonato Paulista — nossa “querida” Bezinha. O Norusca chega aos quatro pontos, tem mais seis jogos por disputar e segue vivo na busca pelo acesso, na bola e secando os times da ponta.

O próximo desafio é contra o Fernandópolis, que tem sete pontos, fora de casa (sexta, 18/set, às 20h30). Uma vitória lá seria providencial, pra não dizer fundamental. Um empate, vá lá. Perder, nem pensar.

Agora, vamos combinar que a estreia do técnico Vitor Hugo foi pra lá de iluminada. As substituições se transformaram em gols que fizeram a alegria dos 1.111 torcedores.

BOLA ROLANDO
No primeiro tempo, o domínio é noroestino, que praticamente não é ameaçado, mas consegue transformar apenas uma jogada ofensiva em gol, aos 26min. A defesa adversária permite que a bola chegue nos pés de Hygor Silva na área. Logo no pé do goleador… Ele tem a tranquilidade de dominar e empurrar para as redes.

O início da segunda etapa é tenso. Muitos erros de passe, sobretudo de Luiz Azevedo e Gustavo Moreira, falhando na armação. O Lemense, despretensioso, acha um gol aos 14, quando a zaga noroestina vacila ao não rifar a bola e permitir um chute fraco da entrada da área, espalmado por Aranha nos pés de Gustavo, em posição duvidosa.

Aí, Vitão resolve mexer. Troca Capixaba pela experiência de Bira e o discreto Léo Cunha, atuando de segundo-volante, pelo atacante Gustavo Henrique, que desempata em seu primeiro toque na bola! Ian cruza, Hygor Silva não consegue concluir, mas o camisa 18 define e comemora muito, com direito a cambalhota e ‘sai zica’.

Depois de tornar o time mais ofensivo para desempatar, Vitor Hugo resolve diminuir a pressão dos visitantes, que só não empatam por conta de milagre de Aranha. Quando Edson Negão pede substituição, entra Luciano. Ele, o zagueiro-artilheiro. Pois é. Gol do Noroeste. Aos 34, falta cobrada na área, cabeceio de Gustavo Henrique no travessão, tentativa de Pontoli no rebote e oportunismo de Luciano.

Outra jogada aérea fechou o placar. Escanteio de cartilha de Gustavo Moreira, belo arco que encontrou Hygor Silva livre no segundo pau. O artilheiro do campeonato completa de chapa e chega ao seu 17º gol. Na jogada seguinte, o camisa 11 dá carrinho na defesa. Isso aí, molecada. Fome de gols e garra. Dá tempo de buscar esse acesso!

O Noroeste venceu jogando com Aranha; Alisson Pirinha, Rafael Pontoli, Marcelinho e Ian; Capixaba (Bira), Luiz Azevedo, Léo Cunha e Gustavo Moreira; Edson Negão (Luciano) e Hygor Silva.

ABRE ASPAS neste domingão, em áudio!