Categorias
Bauru Basket

Bauru Basket encerra pré-temporada com bons jogos em Franca

Coleman encara a marcação e vai para a bandeja: boa expectativa sobre o novo gringo bauruense. Foto: Caio Casagrande/BauruBasket

 

Retribuindo a visita, o Bauru Basket esteve em Franca ontem e hoje para dois jogos-treinos contra o time da capital do basquete. Como ocorreu na Panela de Pressão, no ginásio Pedrocão também foi uma vitória para cada lado.

Na sexta, 102 a 94 para os bauruenses, com ótima recuperação na metade final do jogo (fechou o segundo quarto 16 pontos atrás). Outra grande notícia é o desempenho do pivô DeAndre Coleman, cestinha da partida com 24 pontos – Jeff fez 23 e pegou 13 rebotes e os irmão Fischer, 14 pontos cada. “Gostei muito da partida de hoje. Adaptei-me bem ao jogo e já começo a gostar desse estilo do basquete brasileiro. O ritmo do nosso time foi bom”, comemorou Coleman, via assessoria.

Quinteto interessante em quadra: Gui (com a bola), Thomas, Ricardo, Pilar e Coleman. Foto: Caio Casagrande/BauruBasket

Menos de 16 horas depois, lá estavam Bauru e Franca novamente em quadra. Ao contrário da véspera, os comandados de Guerrinha – que promoveu mais revezamento – fizeram bom primeiro quarto, que terminou empatado. Entretanto, nos dois períodos seguintes os francanos abriram 20 pontos. O Dragão ainda venceu o último quarto (33 a 25), mas os donos da casa fecharam o jogo em 87 a 75. O ala John Thomas foi o maior anotador do sábado (20 pontos). “Jogamos mais como um time hoje e isso está melhorando cada vez mais. Tive uma boa participação. Sendo agressivo nos rebotes e muito forte na defesa, o ataque vem naturalmente”, concluiu Thomas.

Guerrinha concluiu com uma frase o que representaram os amistosos contra Franca, todos marcados pelo vigor físico, que serviram para calejar os elencos: “Com certeza estes jogos valerão mais do que um mês de treinos”.

Parece cedo para lançar expectativa sobre esse time, mas pela base mantida e com os três reforços dando boa resposta nos jogos-treinos (Ricardo, Coleman e Thomas sempre figuraram entre os principais pontuadores), não se espera menos do que ver Bauru brigando para ser finalista do estadual. No papel, está à frente dos reformulados Pinheiros, Paulistano e Franca; e no mesmo patamar de São José, a princípio o time a ser batido.

Categorias
Bauru Basket

Foto 10: Larry volta pra casa

O sonho da Olimpíada se concretizou, Larry, você foi a Londres. Lá, como de costume, doou-se em quadra e orgulhou os bauruenses, que estão esperando por você. Assim como seus amigos do Bauru Basket. Bom trabalho. And welcome back.

Categorias
Bauru Basket

Na estreia de Coleman e volta de Fischer, Bauru Basket perde para o XV de Piracicaba

Coleman em ação. Foto: Caio Casagrande/Divulgação Bauru Basket

Em seu terceiro amistoso de preparação para o Campeonato Paulista, o Bauru Basket recebeu nessa terça o XV de Piracicaba (time que solicitou à Federação atuar na Série A-2, por problemas financeiros) e perdeu: 115 a 109 para os visitantes.

Difícil fazer qualquer avaliação, pois não pude estar na Panela de Pressão. O certo é que o momento de falhar é agora. “Em todos esses amistosos, não estamos preocupados com resultados. Claro que queremos sempre ganhar, mas nosso objetivo é pegar entrosamento e ritmo de jogo”, comentou o armador Ricardo Fischer, que anotou 19 pontos na partida (tem média de 17,3 em três jogos-treinos).

O técnico Guerrinha avaliou como negativo o desempenho do time em relação ao que vinha produzindo nos treinos. “Esperávamos um rendimento individual melhor, pelos bons treinamentos que vínhamos tendo. Não conseguimos traduzir essa boa fase de treinos no jogo e encontramos muita dificuldade ao enfrentar essa equipe que está em um momento diferente na temporada, mas independente de tudo, poderíamos ter tido um rendimento muito maior, principalmente na defesa”, disse o treinador, via assessoria.

O confronto marcou a estreia não-oficial do pivô norte-americano De Andre Coleman, que marcou 16 pontos. “Acredito que ele está à vontade em quadra, estamos fazendo de tudo pra que ele se adapte o mais rápido possível”, acredita Ricardo.

O camisa 5 do Dragão viveu um momento especial nessa tarde. Finalmente enfrentou um adversário ao lado de seu irmão, o capitão Fernando Fischer. “Foi muito bom! Um sonho se realizando. Poder dar uma assistência pra ele chutar é demais”, vibrou. O camisa 14 guardou 14 pontos. O cestinha bauruense foi Jeff Agba, com 23.

Sexta e sábado, Bauru e Franca se enfrentam no Pedrocão.

Categorias
Bauru Basket

Com Bauru entre favoritos, tabela do Paulista de basquete é divulgada

Guerrinha comanda jogo-treino: foco é ser finalista estadual

Com atraso, descumprindo prazo do Estatuto do Torcedor, a tabela do Campeonato Paulista de basquete masculino 2012 (Série A-1) foi divulgada nessa sexta (3/8). Os grupos já estavam definidos, mas restava saber a caminhada até os playoffs – a partir de quartas-de-final. Com o elenco mais qualificado em relação à última temporada, o Bauru Basket almeja o título. Em 2011, foi o melhor time da fase de classificação, mas caiu diante de São José nas semifinais. E são exatamente os joseenses, atuais vice-campeões nacionais, que dividem com os guerreiros bauruenses o favoritismo. Com muitas mexidas em seus elencos, Franca, Paulistano e Pinheiros, a princípio, correm por fora.

“Nosso projeto está caminhando bem, evoluindo passo a passo. Em termos de elenco, é o time mais forte desde a volta [em 2007]. Se os jogadores mantiverem o comprometimento, entraremos fortes para disputar títulos na temporada. Temos que estar preparados para a cobrança, porque Bauru é uma das forças”, reconhece o técnico Guerrinha.

O pivô DeAndre Coleman deverá entrar em quadra nos jogos-treinos. “Se o Coleman atender à expectativa que temos nele, certamente será um jogador efetivo na equipe e nos dará uma opção muito boa de revezamento”, disse Guerrinha

O ânimo do treinador, além dos reforços (o armador Ricardo Fischer, o ala John Thomas e o pivô DeAndre Coleman), justifica-se pelo trabalho de base que vem sendo desenvolvido na equipe – ano passado, por exemplo, Bauru teve que disputar o NBB sub-21 (agora sub-22) em parceria com o Regatas de Campinas. Os cadetes lideram de forma invicta o estadual sub-17, já treinam entre os profissionais e vão compor o elenco que vai disputar a Liga de Desenvolvimento de Basquete. “Os jogadores sub-22 [Gui, Ricardo Fischer, Luquinha e Andrezão] são adultos, são realidade no profissional. Os meninos do sub-17 ajudam no treinamento do sub-22. Dessa forma, o trabalho ganha sequência. Se lá na frente perdermos o Larry, o Fernando Fischer, já teremos peças para repor”, projeta o comandante.

Antes de começar o novo desafio, dia 18 de agosto (na Panela de Pressão, contra a Liga Sorocabana), o Bauru Basket tem mais três amistosos pela frente. Dia 7, às 17h (em Bauru, entrada franca), contra o XV de Piracibaca – time que estaria no grupo do Dragão, mas desistiu da elite e irá disputar a Série A-2. Outro desistente é Araraquara, pelo mesmo motivo (financeiro). Nos dias 10 e 11, em Franca, os guerreiros retribuem a visita (em Bauru, uma vitória para cada).

Confira as partidas de Bauru na primeira fase (grupo A):

Turno
18/ago/sáb – 18h – Liga Sorocabana (C)
22/ago/qua – 20h – Rio Claro (F)
30/ago/qui – 20h – Franca (C)
02/set/dom – 18h – América (F)
06/set/qui – 20h – Jacareí (C)
08/set/sáb – 18h30 – Limeira (F)
Returno
13/set/qui – 20h – América (C)
15/set/sáb – 18h – Liga Sorocabana (F)
20/set/qui – 20h – Rio Claro (C)
27/set/qui – 20h – Franca (F)
04/out/qui – 20h – Jacareí (F)
06/out/sáb – 18h – Limeira (C)
 (C=casa; F=fora)

O grupo B é formado por Suzano, São José, Paulistano, Mogi das Cruzes, Palmeiras, São Bernardo, Pinheiros e Internacional de Santos

Categorias
Coluna

Coluna da semana diagnostica má temporada do Noroeste em casa e repercute jogos-treinos do Bauru Basket

Texto publicado na edição de 30 de julho de 2012 no jornal BOM DIA Bauru mostra números do mal desempenho alvirrubro em Alfredo de Castilho e traz aspas após os amistosos dos guerreiros contra Franca.

Síndrome do Alfredão

Bastou o Noroeste jogar duas vezes (mal) em casa, ao mesmo tempo em que jogou bem como visitante nesta Copa Paulista, que surgiu o questionamento. Por que o Alvirrubro tem jogado tão mal em casa? Em Barretos, vitória convincente e gols bonitos – os únicos marcados até aqui, aliás. Em Marília, apesar do placar zerado, o volume ofensivo foi elogiável, muitas tramas no ataque e a vitória moral no clássico. No Alfredo de Castilho, entretanto, sono e vaias.

Seria a síndrome de Alfredão? Brincadeira à parte (é preciso ter bom humor nessa vida), o assunto é sério: em 2012, o Norusca venceu menos da metade de seus compromissos em casa (apenas sete vitórias em 15 jogos). Empatar como mandante nunca é bom resultado e foram seis vezes que o adversário saiu de Bauru com um ponto. Houve ainda duas derrotas. Se encurtar o prazo, a coisa fica pior: nos últimos dez jogos, foram apenas três vitórias. O time está econômico nos gols jogando em casa. Foram apenas 21 em 15 jogos (1,4 por jogo). Marcou mais de dois em apenas duas ocasiões. E sofreu quase um por jogo (14 em 15).

Não significa que o Noroeste é uma maravilha fora de casa nesta temporada – o retrospecto é ainda pior (apenas duas vitórias em 14 jogos e saldo negativo de dez gols). Esse bom momento como visitante é uma exclusividade desse início de Copinha. Que os vídeos das partidas em Barretos e Marília sejam vistos e revistos para inspirar Amauri Knevitz e seus comandados. A resposta tem que ser dada quarta-feira. Nada mais apropriado do que provar quem manda aqui, no dia do aniversário da cidade.

Vai entender
Conforme a coluna adiantou na última semana, o Noroeste não vai renovar os contratos do goleiro Weliquem e do volante Leonardo. Com quatro goleiros no elenco profissional, além das promessas Léo e Muralha, seria mesmo difícil Weliquem ter oportunidade. Já Leonardo foi testado na Copinha passada e não comprometeu. Mas a saída do lateral-esquerdo Pedro, definida há algumas semanas, é a mais lamentável. Elogiado na base, o jovem teve poucas chances no time de cima, enquanto a diretoria apostou em canhotos do quilate de Roque, Gleidson e Alexandre Aguiar (da segunda divisão de pernambuco!). A bola da vez é Ralph, que foi vaiado no último sábado.

Papo de basquete
Saldo positivo o dos jogos-treinos entre Bauru/Basket e Franca. Uma derrota (68 a 81) e uma vitória (93 a 85) e um ótimo parâmetro para os dois lados. Mesmo visivelmente fora da forma física ideal, os jogadores fizeram confrontos pegados e faltosos, em meio ao duelo tático entre os amigos Guerrinha e Lula Ferreira. “Agendei amistoso com Bauru exatamente porque é uma equipe de pegada forte na defesa. Eu queria que meu time enfrentasse dificuldade”, comentou o treinador de Franca. O técnico bauruense prevê uma temporada de mais cobranças, já que o elenco está mais qualificado. “Bauru é uma equipe favorita, não entra mais para participar. Tem que saber encarar isso, estar preparado para ser cobrado. Isso é legal. Mostra que nossos jogadores não são mais surpresa, são realidade”, concluiu.

Craque
“O moleque é muito bom”, exclamou Guerrinha, elogiando o armador Ricardo Fischer, que teve média de 16,5 pontos nos dois amistosos e chamou a atenção pela liderança. O treinador adiantou que não vai inibir a impetuosidade do rapaz. “O armador é o segundo técnico do time. Eu brigo mesmo, de forma positiva. Darei bronca em quem precisar, esse é o meu perfil”, avisou Ricardo, que deverá jogar com a camisa 5, com a inscrição “R. Fischer” às costas, para diferenciar do irmão mais velho.

Pode anotar
John Thomas terá média de 15 pontos por jogo, é a estatística de toda a carreira dele, desde a faculdade. “Trabalho duro, forte na defesa e no ataque tenho somente que me divertir. Basquete é isso. Estou noventa por cento fisicamente e estarei pronto no início do Paulista”, disse o ala à coluna.