Quem é Lucas Faggiano, segundo grandes nomes do basquete argentino

Lucas Faggiano

Anunciado na última quinta-feira (6/jun), o armador Lucas Faggiano é da principal prateleira do mercado sul-americano. Uma cestaça, portanto, do Sendi Bauru Basket. Mas quem é Lucas Faggiano? Conferir imagens do jogador em ação (highlights da última temporada logo abaixo) ajuda bem. Também sugiro ler o perfil do atleta no site da FIBA (crédito da  foto acima, inclusive), mas nada melhor do que conferir opiniões de peso. Lucas Rocha* (repórter da Jovem News Bauru e quem publicou em primeira mão a contratação) ouviu nomes importantes no país vizinho, que viram o camisa 3 de perto. Logo abaixo do vídeo. Confira!

Daniel Hure fala sobre Lucas FaggianoLucas é um grande jogador. Tem coração e entrega pela equipe sempre no nível máximo. Eu o enfrentei muitas vezes na Argentina e é um dos melhores armadores de nosso país, sem sombra de dúvida. Um jogador com muito talento, rápido e ótimo defensor. Nunca jogamos na mesma equipe, mas conheço sua carreira e sei que faz o melhor por seus companheiros e por seu clube. Por onde passou, deixou uma boa impressão. Em Bauru, não deverá ser diferente.
DANIEL HURE, atleta do Hispano e vice-campeão do NBB 9 pelo Paulistano

Tomás Zanzottera fala sobre FaggianoO torcedor de Bauru pode esperar muita garra, coração e basquete. Lucas é um jogador fantástico, entre os melhores com quem tive prazer de dividir quadra. Evoluí muito durante a temporada seguindo seus conselhos.
TOMÁS  ZANZOTTERA, ala-armador, companheiro de Faggiano no San Martín de Corrientes na temporada 2018/2019

Carlos Altamirano fala sobre Lucas FaggianoLucas é sobretudo uma excelente pessoa, bom companheiro e altruísta. Como jogador, não tem parado de crescer em todos os aspectos: a defesa de um contra um, a linha do passe, as entrelinhas. Defensivamente, é excelente. Ofensivamente, melhorou bastante sua leitura de jogo e se tornou um atleta muito mais veloz. Elevou sua porcentagem em arremessos de três pontos, tornando-se também um grande pontuador. Com todos esses adjetivos, não é exagero algum dizer que Faggiano está entre os cinco melhores armadores argentinos em todo o mundo no momento.
CARLOS ALTAMIRANO, jornalista e narrador da DirecTV Sports na Argentina

Seba González fala sobre Lucas FaggianoLucas é um jogador muito intenso nos dois lados da quadra, praticamente perfeito taticamente. Pode jogar em pick and roll, mas também joga em transição, além de ser excepcional finalizador de jogadas. Apesar disso, tem um coração muito grande e se entrega até o fim pela equipe. Defensivamente, é um dos melhores no basquete argentino — é muito difícil alguém se criar em cima dele. Fico extremamente feliz em vê-lo evoluir e agora ter essa oportunidade de jogar no exterior. Tivemos momentos fantásticos juntos, ótimos jogos, bons treinos, boas histórias. Desejo sucesso a Lucas e a Bauru na próxima temporada.
SEBASTIÁN ‘SEBA’ GONZÁLEZ, treinador de Faggiano por três temporadas no San Martín de Corrientes

Maxi Stanic fala sobre Lucas FaggianoEle é um jogador que está em seu melhor momento na carreira. Teve oportunidade de ir para a seleção argentina e tem jogado em altíssimo nível por lá também. Aqui, foi fundamental para o San Martín nos últimos anos e acredito que ele irá muito bem no Brasil. Tem o perfil que o torcedor brasileiro gosta, sempre muito aguerrido. É grande profissional e acima de tudo muito boa pessoa.
MAXI STANIC, armador do Atenas de Córdoba e com grande passagem no Brasil, pelo Palmeiras

*Lucas Rocha, especial para o CANHOTA 10

Faggiano, novo armador do Bauru: “Desejava me desafiar em outro país”

Lucas Faggiano

O tão esperado primeiro anúncio de reforço do Sendi Bauru Basket para a temporada 2018/2019 veio na última quinta (6/jun), com sotaque: o armador argentino, 30 anos, vindo do San Martín, de seu país — informação antecipada pelo colega Lucas Rocha, da Jovem Pan News Bauru. O jogador já havia negociado com o Dragão em 2015, quando atuava no Boca Juniors. Chega à Cidade Sem Limites com médias de 12,8 pontos, 4,4 assistências e 3,2 rebotes em 30min em quadra, nas 42 partidas que disputou na última liga argentina.

Nesta sexta-feira, o CANHOTA 10 falou com exclusividade com Faggiano sobre o que o motivou a vir para o Brasil — sua primeira experiência profissional fora de seu país. “Eu desejava me desafiar em outra liga, em outro país. E o interesse que o Bauru demonstrou me convenceu”, conta  o camisa 3.

Faggiano se informou com colegas que tiveram experiência no Novo Basquete Brasil: “Conversei com Enzo Ruíz, Franco Balbi e Nicolás Laprovittola, que me deram boas referências da organização das equipes e da força da liga brasileira”.

Lucas Faggiano
Caiu bem o manto bauruense? Foto: Comunicação Bauru Basket. (Foto topo: FIBA)

Sobre sua chegada a Bauru, el base argentino acredita que estará aqui no início de julho — a não ser que haja uma convocação da seleção argentina para disputar uma Copa do Mundo. “Aí não sei ainda como será. A convocação é o ponto máximo de um jogador. Vamos ver o que vai acontecer”, comenta Faggiano, que já teve contato com o técnico Demétrius Ferracciú. “Falei com ele de forma breve, uma conversa de boas-vindas. Disse que estava contente com a minha chegada.” O gringo finalizou a conversa se desculpando por falar espanhol, afirmando estar disposto a aprender o português.

Faggiano chega com currículo pesado para causar impacto no NBB. Para conhecer um pouco mais sobre o novo armador do Dragão, sugiro ler esse perfil publicado no site da FIBA.

Fernando Beagá

Faggiano: “Não cheguei a um acordo com Bauru”

Está difícil encontrar um armador. Depois de esfriarem as conversas com Paulinho Boracini, que está com uma pedida salarial alta, o Paschoalotto Bauru não chegou a um acordo com o argentino Lucas Faggiano, reserva do Boca Juniors.

A negociação, revelada pelo colega Luiz Lanzoni no programa Jornada Esportiva (Auri-Verde 760AM, de terça a sexta às 20h), não avançou. Faggiano era um ótimo nome para o que pretende o Dragão para a posição: um bom reserva para Ricardo Fischer (ele fechou a liga argentina com médias de 9,8 pontos e 2,5 assistências em 25min em quadra).

“Não assinei com Bauru. Não chegamos a um acordo financeiro”, resumiu ao Canhota 10 o jogador argentino, via zapzap. O diretor técnico Vitinho Jacob confirmou a informação.

PACIÊNCIA, TORCEDOR
A galera está ansiosa, mas pode poupar as unhas. A diretoria não tem pressa em encontrar um novo armador. Tem um teto para gastar e não vai fazer loucuras. Paulinho Boracini segue na pauta, desde que entre nessa realidade orçamentária. Outros nomes que atuam na Argentina, incluindo norte-americanos, seguem sendo estudados. O estadunidense Hopson, do Regatas Corrientes, por exemplo, agrada a comissão técnica, mas é outro nome de salário astronômico, sobretudo em tempos de dólar alto.

Foto: Site oficial Boca Juniors

 

Um pra cada lado...
Um pra cada lado…