Categorias
Bauru Basket

Bauru 1, Brasília 0: passeio no Distrito Federal

Com show de Alex, Bauru domina toda a partida e abre vantagem sobre Brasília

retranca-NBBAlex ilustra a foto acima, também a foto logo abaixo — da bela enterrada que deu no jogo — e deveria fazer uma galeria de imagens do camisa 10 do Paschoalotto Bauru nessa partida, se fosse possível. O cidadão não para. Nesta quarta, ele foi o condutor do passeio do Dragão sobre Brasília (89 a 72), sempre com números convincentes em mais de três quesitos (isso mesmo). Tudo isso diante da torcida de seu ex-time, que até tentou desestabilizá-lo, apesar de estarem carecas de saber ser tarefa nula…

O camisa 10 bauruense era o mais velho em quadra (36 anos, alguns meses acima do ex-colega Giovannoni), mas foi o que mais tempo permaneceu nela: 33min. E saiu com a melhor eficiência (22). Já havia sido monstruoso na série contra o Pinheiros e agora protagoniza a abertura da contagem nesta semfinal. Agora, serão dois jogos na Panela e não duvide que a vassoura passe após os duelos de sábado (7/mai, 14h10) e terça (10/mai, 21h15).

O Capitão América roubou a bola e voou ao encontro do aro. Fotos: Caio Casagrande/13 Comunicação/Bauru Basket
O Capitão América roubou a bola e voou ao encontro do aro. Fotos: Caio Casagrande/13 Comunicação/Bauru Basket

E sejamos justos: mão à palmatória. Pelo menos, falo por mim: acreditava que só a Caverna do Dragão salvaria Bauru. Porque Brasília vinha num momento mais fortalecido, após superar o tinhoso Paulistano. Porque nossa defesa havia falhado demais nas quartas. Porque Ricardo Fischer faz uma falta danada. Mas o que se viu no jogo 1, lá no Distrito Federal, na toca do Lobo-guará, foram guerreiros famintos por cada bola. Todo mundo atento nos rebotes, mão calibrada nos chutes de fora (45%), mais roubos de bola, menos erros. Sobretudo, mais vontade.

E aí está: o Paschoalotto precisa de mais duas vitórias em quatro jogos, sendo três em casa. Se mantiver esse foco, resolve a parada no dia 10.

ABRE ASPAS
“Brasília merece todo o respeito. Conseguimos diminuir o ataque deles e tivemos uma boa produtividade, fomos bem consistentes. Mas temos que continuar focados, tem muita coisa pra acontecer”, ponderou o ala-pivô Jefferson William, à reportagem do Sportv.

“Importante que os jogadores entraram muito focados e determinados naquilo que precisávamos fazer. Nosso objetivo era diminuir a pontuação do Brasília e conseguimos. Mas é página virada. Temos muitos exemplos de que playoff é jogo a jogo. Indiferente da pontuação temos que entrar melhor ainda no próximo jogo”, alertou o técnico Demétrius Ferracciú, via assessoria.

NUMERALHA
Hett: 21 pontos, 6 rebotes, 2 assistências
Jé: 20 pontos, 3 rebotes, 3 assistências
Brabo: 17 pontos, 6 rebotes, 5 assistências, 2 roubos de bola, 1 toco
Paulinho: 9 pontos, 2 assistências
Roberdei: 9 pontos, 9 rebotes
Meindl: 8 pontos, 4 rebotes
Murilaço: 3 pontos, 3 rebotes
Gui Santos: 2 pontos, 1 rebote
Wesley: 2 rebotes
Eltink: 1 rebote, 1 assistência, 1 roubo

 

canhota-zapzap-perfilQuer ser avisado(a) quando houver texto novo no CANHOTA 10? Basta salvar o número +55 14 98109.6388 na agenda do seu celular e enviar um recado via WhatsApp solicitando a inclusão na nossa lista. É rápido!

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *