Categorias
Bauru Basket

Bauru 2, Franca 2: uma noite histórica

Vitória do Paschoalotto Bauru por incríveis 102 a 73 (em Franca!) força quinto jogo da semifinal do Paulista

Seja lá o que acontecer no jogo 5 da série semifinal do Campeonato Paulista, entre Paschoalotto Bauru e Franca, uma marca histórica está escrita: o nocaute que o Dragão impôs aos francanos dentro do Pedrocão: 102 a 73. Isso mesmo. Placar centenário e 29 pontos de diferença no lotado templo do basquete.

Não dá para falar desse vareio de bola sem associar à confusão da última terça-feira. Em nota oficial, Bauru avisou que ia responder na quadra. E entrou nela com sangue nos olhos. Sufocando o adversário, não cochilando um segundo sequer. Passou um trator, com fenomenais 63% de aproveitamento nas bolas de três, 70% nos chutes internos. Com os quatro maiores reforços da temporada possuídos: Robert Day com a mão quente (6-8 de fora), Alex idem (5-7), Hettsheimeir e Jefferson absolutos no garrafão.

Desencanei de descrever o jogo a partir da escuta. Foi um deleite ouvir a vibrante e precisa narração de Rafael Antônio sem rascunhar os momentos-chave. Até porque não houve. A partida toda foi um sobressalto só, êxtase do começo ao fim. Um elenco mágico no papel que se fez obra na quadra.

Aconteça o que acontecer no sábado (4/out), às 18h, o feito em Franca jamais será esquecido. Assim como uma classificação francana na Panela seria inesquecível. Sendo assim, que seja um grande jogo. E só um jogo, chega de confusão.

NUMERALHA
Robert Day: 24 pontos, 5 rebotes
Alex Garcia: 21 pontos, 6 rebotes, 4 assitências
Rafael Hettsheimeir: 18 pontos, 5 rebotes
Jefferson William: 15 pontos, 5 rebotes, 3 assistências
Ricardo Fischer: 8 pontos, 7 assistências

ABRE ASPAS
“Essa é a postura que a gente tem que ter. Quando a gente tem uma postura defensiva forte, pega o rebote e vai bem no ataque”, resumiu Alex Garcia ao repórter Luiz Lanzoni, da Auri-Verde/Jornada Esportiva.

“Nossa equipe é de jogadores vencedores. O que aconteceu tem que ficar para trás, mas ajudou de alguma forma. Entramos mordidos. Vamos concentrados com a mesma atitude para o quinto jogo”, disse o pivô Murilo, que mesmo machucado acompanhou os colegas.

 

Foto: Henrique Costa/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *