Noroeste busca empate contra o Rio Preto e classificação ainda está ameaçada

Noroeste x Rio Preto - Série A3 2018

O empate contra o vice-lanterna Manthiqueira, na última quarta-feira, ainda incomoda. Porque ali, sim, foram dois pontos perdidos. Neste domingo ensolarado, o Noroeste foi buscar um ponto contra o Rio Preto. Ficou atrás no placar duas vezes e alcançou o 2 a 2. Claro que não é nada bom empatar diante da torcida, mas a boa partida da dupla de ataque Gindre e Jorge Mauá (autores dos gols) minimizou o prejuízo.

Agora, o Norusca soma 27 pontos e está na sexta posição, apenas três à frente do nono colocado. Isto é, a classificação para os mata-matas ainda não é uma realidade. Os três jogos restantes são cascudos: visita o Monte Azul (que ainda não perdeu em casa), recebe o Olímpia (que luta para não cair) e termina a primeira fase fora de casa, contra o Taboão da Serra, que hoje ocupa exatamente a nona posição…

Pela regularidade — o Noroeste está no G-8 desde a primeira rodada —, tudo indica que a equipe chegará à segunda fase. Mas precisa confirmar isso em campo! Alberto Félix admitiu na coletiva pós-jogo que ainda gira o elenco nas escalações para contar com todos bem na hora da verdade. Foi o caso do meia Michel, hoje titular, enquanto Leandro Oliveira e Samuel seguem poupados. Sobre a possibilidade de Leandro Oliveira estar fora por estar negociando com o São Bento, a palavra oficial do clube é que não há nada, o jogador está fora apenas para recuperação física.

Com uma semana para trabalhar, o Norusca deve se atentar aos erros defensivos e é sempre bom melhorar a pontaria.

O Noroeste empatou com o Rio Preto jogando com Ferreira; Pacheco, Jean Pierre, Marcelinho e Lucas Hipólito; Maicon Douglas, André Rocha (Igor Pimenta), Michel (Wellington) e Vilson; Gindre e Jorge Mauá (Alef).

 

Foto: Bruno Freitas/Noroeste

Entrevista 10, edição 3: Alberto Félix

Alberto Félix no Entrevista 10

Pense numa criança com brinquedo novo. Ou cara de mineiro quando lhe oferecem pão de queijo. Fui eu nesta entrevista. Moleque nos anos 1990, minha memória futebolística veio à tona para entrevistar um dos bons personagens daquela época: Alberto Félix, meia-atacante do Bragantino, fênomeno da década, como foi o São Caetano na seguinte e agora é a Chapecoense.

Ah, a turma aí de cima, além de mim e Alberto: os anjos da guarda desse programa, Bruno Rossi e Fabiano Marquezine.

Claro que também falamos muito de Noroeste, do trabalho dele aqui. Conquistou a confiança das pessoas rapidamente, com essa fala tranquila e, principalmente, simples. Com Alberto não tem firula, futebolês moderno. É um boleiro no melhor significado dessa palavra. Espero que você goste como eu gostei de conduzir essa resenha. É só dar o play:

Apoio cultural ao ENTREVISTA 10

Empresas que quiserem patrocinar a atração terão espaço durante a exibição (logomarca, slogan e contato), em banner no rodapé da tela. O investimento mensal é bem convidativo e o nível da conversa promete um bom valor agregado. Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail fernandobh@canhota10.com ou pelo telefone (14) 99115.1360 (inclusive WhatsApp).

Dias e horários das reapresentações do ENTREVISTA 10 no canal 14 da NET:

Terça: 19h
Quarta: 10h
Quinta: 1h e 16h
Sexta: 6h, 21h
Sábado: 12h
Domingo: 7h e 22h
Segunda: 7h

O ENTREVISTA 10 é uma parceria do CANHOTA 10 com a TV FIB

Dragão vence bicampeão Guaros e está vivo na Liga das Américas!

Bauru - Guaros - Liga das Américas

Depois da derrota de ontem para os anfitriões do Regatas Corrientes, o Bauru Basket estava nas cordas. Ambos, aliás, pois o Guaros de Lara também perdera na estreia, para o Estudiantes Concordia. Quem saísse derrotado nessa segunda rodada, portanto, diria adeus à Liga das Américas. E caíram os venezuelanos, atuais bicampeões. 81 a 77 para o Dragão, com domínio maduro do andar da contagem.

Quem se lembra da primeira fase, na Panela de Pressão, sabe que o Dragão perdeu para o Guaros jogando sem Alex Garcia e Rafael Hettsheimeir. Mesmo assim, foi apertado. Com os dois craques do time, a história foi outra. O Canela gosta demais de atuar em solo argentino — em 2011, em Mar del Plata, colocou o Brasil na Olimpíada de Londres. Fez 24 pontos e pegou oito rebotes. O Brabo, como de costume, a eficiência em pessoa:  16 pontos, oito rebotes, oito assistências. Alex deveria injetar formol nas veias e nunca parar de jogar…

Neste domingo, também às 19h15, Bauru e Estudiantes Concordia têm confronto direto por uma vaga no Final Four. O Regatas já está dentro, após vitória por 91 a 61 sobre os conterrâneos — não se iluda com a diferença, Estudiantes tirou o pé e se poupou depois de perceber a inevitável derrota, já que não será necessário saldo para definir a outra vaga.

Confira os melhores momentos da vitória sobre o Guaros

Fala, Brabo!

“Fez muito calor hoje. Jogamos na superação, com desfalque do Shilton, com problema no joelho. Defendemos do início ao fim e tivemos o controle do jogo a partir do terceiro quarto. Isso foi fundamental para lutarmos pela classificação amanhã”, disse o capitão Alex Garcia, 24 de eficiência, ao pós-jogo oficial da #LDA2018.

Numeralha

Canela: 24 pontos, 8 rebotes, 1 toco
Brabo: 16 pontos, 8 rebotes, 8 assistências, 1 roubo de bola
Duda: 12 pontos
Maikão:  10 pontos, 6 rebotes
Jaú: 7 pontos, 6 rebotes
Toninho: 5 pontos, 2 assistências
Isaac: 4 pontos
Boludinho: 3 pontos, 2 rebotes, 1 roubo, 1 toco
Renan e Osvaldas, discretos, não pontuaram (ambos jogaram 11min)

 

Foto: Victor Lira/Bauru Basket

8 a 1 na Matonense: isso é que é dever de casa, Norusca!

Jorge Mauá comemora gol sobre a Matonense

Pegar um time da zona de rebaixamento, como mandante. Obrigação de vencer, isto é, “fazer a lição de casa”, como prega nossa senhora do clichê. Foi o que o Noroeste fez, com louvor: aplicou 8 a 1 na Matonense! Assim, estabeleceu-se na quinta posição ao chegar aos 25 pontos, abrindo quatro do nono colocado.

A partida foi um deleite para os pouco mais de 1,3 mil torcedores. Como a quantidade de público é termômetro do momento do time, a torcida estava desconfiada depois dos quatro pontos perdidos nos dois últimos jogos — sem contar que ainda não é dia 5 e o bolso do trabalhador está daquele jeito.



Tomara que essa goleada anime a galera para o próximo compromisso em casa, no próximo domingo (11/mar), contra o Rio Preto. Antes, outra “lição de casa”, mesmo como visitante: levar à lona o cambaleante Manthiqueira, vice-lanterna — quarta, às 20h.

O Noroeste goleou jogando com Ferreira; Pacheco, Jean Pierre, Marcelo Augusto e Hipólito; Maicon Douglas (Alex Silva), Igor Pimenta, Leandro Oliveira e Vilson; Gindre (Alef) e Jorge Mauá (Romão).

Confira os gols da partida:

“Toca pro Mauá que é gol”

O centroavante Jorge Mauá dera o cartão de visitas em sua estreia, na derrota para a Portuguesa Santista, mandando bola na trave. No Alfredão, atendeu às expectativas que criou. Depois do esforçado Gabriel Esteves, fora de combate, a camisa 9 alvirrubra ficou à deriva, mas agora encontrou um dono.

Festa no Alfredão: 1,3 mil sortudos viram a goleada histórica. Fotos: Bruno Freitas/Noroeste

Abre aspas

“Conversamos que esse era o jogo da nossa vida, não poderíamos deixar escapar os três pontos. Tínhamos que nos impor desde o início do jogo. O destaque foi o coletivo. Fazer gols é minha função. Time que quer subir tem que se impor, não importa a posição do adversário”, disse o goleador Jorge Mauá, que pediu a música Cicatrizes, de Bruna Carla. Alô, Fantástico!

“O importante foi o foco e a intensidade. Fizemos gols rapidamente e nossa equipe fez a partida ficar fácil. Vínhamos fazendo bons jogos, mas a bola não estava entrando. O grupo todo está de parabéns”, comentou o meia Leandro Oliveira.

“O grupo sabia da importância dessa vitória para a classificação, mas não esperávamos um resultado tão elástico. Estou muito feliz pelo desempenho dos jogadores, que aproveitaram as chances. A lição de casa foi muito bem feita. Os jogadores não relaxaram, nem fizeram jogadas de efeito para menosprezar o adversário. É importante destacar a postura da Matonense, que não deu pontapé. Retrubuímos da mesma forma, sendo profissionais o tempo todo”, disse o técnico Alberto Félix.

ENTREVISTA 10 de 5 de março é com o NORUSCA!

Nesta segunda, às 21h, o técnico Alberto Félix é o convidado ao vivo do ENTREVISTA 10. Você pode acompanhar pela TV FIB (canal 14 da NET) ou pela fanpage do Canhota 10.

Vôlei Bauru termina primeira fase da Superliga em oitavo e vai encarar o Praia Clube

Vôlei Bauru x São Caetano: próximo adversário será o Praia Clube

Não teve jeito. O Vôlei Bauru pagou pela campanha irregular e se classificou para as quartas de final apenas na oitava e última vaga — e vai encarar o líder Praia Clube. A partida derradeira na fase de classificação foi contra o São Caetano: derrota fora de casa por 3 sets a 1 (parciais de 28/26, 19/25, 25/21 e 29/27). Curioso: o São Caetano, que ficou de fora, em nono, venceu as gigantes duas vezes nesta Superliga. Uma vitória no tie-break também não adiantaria: somente os três pontos colocariam Bauru em sétimo — igualmente numa pedreira, o Sesc Rio, que vem crescendo.

O negócio era terminar em sexto, eu alertava há algumas semanas, para fugir de Praia e Rio. Mas significaria pegar o Minas, terceiro colocado, que vem embalado com título sul-americano e seria igualmente complicado. Ultrapassou o Osasco, que vai encarar o Barueri nas quartas. O Rio pega o Pinheiros. Minas e Fluminense fecham o chaveamento.



“Domingo já estamos treinando. Temos que trabalhar. Agora é playoff!”, avisou o técnico Fernando Bonatto, em entrevista pós-jogo ao repórter Chico José, da Jovem Pan News Bauru.

Na condição de azarão, Bauru pode surpreender o Praia, que provou não ser imbatível ao cair na semifinal da Copa Brasil… Paula Pequeno, no nosso programa ENTREVISTA 10, falou sobre jogar sem o peso do favoritismo.

Bom trabalho para as gigantes!

 

Flavio Perez/São Caetano