CANHOTA 10

Raio-X de Da Silva

Zagueirão de 29 anos é canhoto e disputou os últimos quatro Paulistões

Nos últimos dias, a CBF tirou do ar, de seu site oficial, a informação acumulada de contratos individuais de jogadores. A consulta do BID, agora, apenas por movimentação diária. O que isso tem a ver com o zagueiro Da Silva, reforço noroestino para a zaga? Comprometeu minha pesquisa para dar um exato panorama de sua carreira. Ok, isso não vai mudar o preço do dólar, mas deixa o raio-X do Canhota 10, habitualmente tão detalhado, impreciso.

Enfim, vamos ao canhoto defensor Jedson da Silva Macedo, paulistano de 29 anos (nascido em 16/2/1981) que mede 1,88m e pesa 86kg.

Até 2000
Formado na base do Corinthians, ganha alguns torneios sub-17 e sub-20.

2001
Disputa a Taça SP de Juniores, sua última antes de se profissionalizar, pelo São Paulo.

2002 e 2003
Emprestado pelo São Paulo, passa pelo futebol goiano. Pesquisando aqui e ali, o destino parece ter sido o Vila Nova, apesar de seu procurador afirmar que Da Silva jogou no Anápolis em 2003 e foi campeão goiano – na verdade, o Goiás venceu o Estadual daquele ano.

2004
Ainda atleta do Tricolor paulista, vai para o São Paulo Liaoning – uma espécie de filial do clube do Morumbi -, para disputar a terceira divisão da China. O elenco, treinado por Nei Pandolfo (ex-zagueiro do Brangatino nos anos 1990), conta somente com Da Silva e o atacante Ethie provenientes do clube; os demais são garimpados em peneiras.

2005
Passa pelo Internacional de Santa Maria, que disputa a segunda divisão do Campeonato Gaúcho.

2006
Novamente no Vila Nova. O clube goiano chega à semifinal do Estadual e escapa do rebaixamento para a Série C nacional, ficando em 15º lugar na Segundona.

2007 a 2009
Começa um período longevo defendendo Bragantino. De cara, em 2007, chega às semifinais do Paulistão e conquista a Série C do Brasileiro.
Em 2008, ajuda o Braga na 13ª posição do Estadual e na boa sétima colocação na Série B.
Em 2009, atua 23 vezes pelo Massa Bruta (cinco no Paulistão e 18 na Série B), marca dois gols e termina a temporada com 13 cartões amarelos e duas expulsões.

2010
Algumas estatísticas o confundem com zagueiro homônimo (ex-Juventude-RS), que vai para o Anapolina-GO no início do ano. Nosso Da Silva segue firme e forte na estreia do Bragantino no Paulistão – atua dez vezes, faz um gol no Rio Branco (sexta rodada) e lesiona o tornozelo na 12ª rodada. Volta a atuar na Série B e, duas partidas depois, é emprestado ao Sport Recife em julho.
Sua permanência no Leão da Ilha é meteórica. Atua apenas quatro vezes (três amarelos, uma expulsão), não agrada a exigente torcida e tem seu contrato rescindido no início de setembro.

Opinião do Canhota 10: não me lembro de vê-lo jogar. O currículo não ajuda muito. Entretanto, por ter sido aproveitado pelo treinador Marcelo Veiga – notório armador de retranca, isto é, entende de zaga – por tanto tempo no Bragantino, merece um olhar apurado. Mas, no fundo, dá aquela sensação de que será o jogador que causará arrepios na torcida. Oremos.

Abaixo, vídeo com lances selecionados do zagueirão canhoto: