CANHOTA 10

Noroeste perde para o Santos, mas com postura

Marcelinho disputa com Felipe Anderson, autor do segundo gol. Foto de Ricardo Saibun/Santos FC (inclusive home)

3-6-1 funcionou na Vila; time ainda perdeu pênalti, com Zé Carlos

Foi como se esperava: dificilmente o Santos perderia para o Noroeste na reabertura da Vila Belmiro. Confirmou seu favoritismo e assumiu provisoriamente a liderança do Paulistão ao vencer por 2 a 0 nesta sexta (11/2). A partida, entretanto, não foi fácil. Mesmo escalado de forma cautelosa, o Norusca criou boas chances e mostrou que tem, sim, condições de se manter na Série A1.

O Alvirrubro obrigou o goleiro Rafael a se esticar em duas difíceis defesas e ainda desperdiçou um pênalti, com Zé Carlos. Minutos depois, foi a vez de Elano desperdiçar penalidade máxima pelo Peixe. Ao final da oitava rodada, o Noroeste poderá voltar à zona de rebaixamento. O time volta a jogar no domingo (20), às 18h30, contra o São Bernardo, fora de casa. O lateral-esquerdo Gleidson, que recebeu o terceiro cartão amarelo, não joga.

Ao jogo, pois:

Primeiro tempo
Os minutos iniciais sãode tentativas do Santos de furar o bloqueio noroestino. Até que, aos oito minutos, Marcelinho serve Zé Carlos, que faz pivô e ajeita de peito para Ricardinho chutar no canto – Rafael defende. No minuto seguinte, o contra-ataque implacável: Diogo lança Zé Eduardo em velocidade, ela ganha de Matheus e escolhe o canto. 1 a 0.
Atualizado: quem perdeu na corrida foi o Júlio César, que estava marcando o Zé. O Matheus deu um pique impressionante para tentar consertar.
Ao contrário do que muitos poderiam pensar, o Norusca não deixa a porteira abrir. Chega ao ataque com Ricardinho, aos 16 (dividindo bola com o goleiro) e Marcelinho, aos 18 (chute fraco de longe). Mais Trem-Bala: aos 22, Gleidson faz boa jogada pela esquerda da área e cruza – Zé Carlos quase alcança.
Em jogada semelhante, aos 24, Diogo cruza e ninguém completa. Dois minutos depois, o Alvirrubro quase empata em linda jogada: Júlio César cruza da direita e encontra Zé na entrada da área; o camisa 9 domina no peito, solta a bomba no canto e Rafael pega com a ponta dos dedos.
O último lance relevante ocorre aos 29, quando Diogo dá elástico no zagueiro e cruza com perigo – a bola passa à frente da meta de André Luis, pedindo para ser chutada. No primeiro tempo, o camisa 1 noroestino não suja o uniforme.
Segundo tempo
A partida recomeça quente. E boa para o Noroeste. Aos 3, Giovanni invade a área e é atropelado por Edu Dracena. Zé Carlso, dois gols de pênalti no campeonato, encara o catimbeiro Rafael e perde, chutando rasteiro no canto esquerdo para fora.
Aos 7, é a vez de o Santos desperdiçar. Marcelinho derruba Diogo e Elano, artilheiro do Paulistão, chuta ao melhor estilo Roberto Baggio. A partida segue 1 a o.
E não poderia faltar o susto de Matheus… Aos 16, ele completa cruzamento na área, em belo cabeceio contra o próprio gol! A bola sai por cima.
Aleílson entra disposto e, aos 17, tabela com Ricardinho, mas é travado por Rafael. O Peixe responde aos 21, com Zé Eduardo chutando pra fora, com perigo. Cinco minutos depois, a única grande defesa de André Luis: ele espalma, à queima-roupa, chute de Zé Love.
O golpe final vem aos 24, em chute do jovem Felipe Anderson. Ele acerta o ângulo esquerdo. A partir daí, o Norusca perde força, mas também não passa sustos. Como foi dito no Canhota 10, importava saber como o Noroeste iria perder. E perdeu jogando bem, contra um time que estreará na Libertadores.
Série D? Está virando sonho. Rebaixamento? Um pesadelo possível, apesar de o time estar engrenando – devagar, mas engrenando. Provavelmente, o Noroeste estará na Série A1 em 2012.

Confira os melhores momentos da partida:

Comentários

  1. fernando disse:

    o peixe é magni nao a outro para batelo ta para nascer outro

  2. Ricardo Henrique Ferraz disse:

    Olha, respeito todas as opiniões, contudo penso que estão de marcação com o Matheus, pois dizer que no lance do primeiro gol Zé Eduardo ganhou do Matheus é uma sacanagem, eis que se quer o Matheus estava no lance, ao contrário tentou consertar a inércia do companheiro correndo muito e chegando junto ao zagueiro com um carrinho. Olha, e como correu.

  3. Fernando BH disse:

    Você tem razão, Ricardo, e eu me corrigi na coluna de ontem no Bom Dia. Quem perdeu na corrida foi o Júlio César, que estava marcando o Zé. O Matheus deu um pique impressionante.