Noroeste fica no zero e terá que vencer Atibaia fora de casa para avançar

Alfredão bonito, tingido de vermelho e branco, bom público (3.376 pagantes, renda de R$ 56,9 mil) e aquela noite agradável para acompanhar um belo futebol. Mas, na pegada de um jogo decisivo (a ida das quartas de final da Série A3), sobrou correria e vontade e faltou qualidade. Nessa toada, o Noroeste pouco criou e empatou em 0 a 0 com o Atibaia.

No primeiro tempo, a bola ficou mais voando de um lado para o outro do que deslizando pelo gramado. E o Norusca, com três dos quatro reforços já no time titular, tinha dificuldades em criar. Ewerton Maradona e Fernandinho deram mais velocidade ao setor ofensivo, mas faltou o encaixe de uma tabela decisiva. O outro estreante, o lateral-esquerdo Alex Cazumba, passou segurança em seu setor, mas não apoiou o ataque.

Bastaram poucos minutos do segundo tempo para a torcida pedir o meia Leandro Oliveira e o centroavante Jorge Mauá, os principais jogadores da primeira fase. O técnico Alberto Félix ouviu meio apelo aos doze minutos, colocando Mauá no lugar de Vilson. Aos 26, a outra: Oliveira substituiu o aplaudido Maradona.

Com chute diferenciado, Oliveira passou a levar perigo à área do Atibaia nas bolas alçadas, além de bom arremate de longe, aos 32min. Nos minutos finais, os visitantes passaram a pressionar — e Ferreira a trabalhar… Oliveira ainda devolveu outro chute perigoso, mas o placar terminou inalterado.

O Noroeste empatou com o Atibaia jogando com Ferreira; Pacheco, Jean Pierre, Marcelinho e Alex Cazumba; Maicon Douglas, André Rocha, Vilson (Jorge Mauá) e Ewerton Maradona (Leandro Oliveira); Gindre (Alef) e Fernandinho.

(A foto, ruim, do celular, é minha mesmo)