CANHOTA 10

Noroeste empata mais uma no Paulista

Time perde boas chances de gols e continua sem vencer no campeonato

Norusca teve espaço para criar jogadas e não aproveitou. Foto de Clodoaldo de Silva/Agência Bom Dia (inclusive home)

DE BAURU
ligado no PFC e na 87FM

Em outras circunstâncias, um empate fora de casa seria comemorado. Mas não dessa vez. Ainda se vencer no Campeonato Paulista, que caminha para sua sétima rodada, o Noroeste desperdiçou boa chance de somar três pontos. Melhor em campo – muito pela fragilidade do Paulista – o Alvirrubro desperdiçou gols e segue seu calvário.

É incerto o anúncio de um novo treinador antes da partida de sábado (5/2), contra o Mogi Mirim, no Alfredão. O interino Jorge Saran cumpriu dignamente seu papel e, com três zagueiros, praticamente não sofreu ataques do adversário. Faltou, entretanto, pontaria para os atacantes – talvez aquela “faca nos dentes” na hora de concluir.

Com cinco pontos na classificação, o Norusca deve seguir na zona de rebaixamento. Invicto fora de casa (três empates), falta ao time se impor no Alfredão. Que o Mogi engula esse sapo… Vamos ao jogo:

1º tempo

A partida começa truncada, feia até. Somente aos 15 minutos a torcida se levanta – e em um lance invalidado – quando Hernane, impedido, é lançado na área e conclui raspando a trave. O bandeira para a jogada.

Aos 19, a já característica falha de Matheus. O zagueirão erra a saída de bola, Hernane rouba, avança e arremata forte, de canhota, com perigo.

Cinco minutos depois, a primeira boa chegada do Noroeste – que a partir daí domina o jogo. Ricardinho lança Márcio Gabriel na direita, que cruza rasteiro para Diego; o camisa 9, na cara do gol, chuta pra fora. O mesmo Diego perde em lance parecido dois minutos à frente: ele recebe cruzamento de Aleílson e, na pequena área, é travado pelo zagueiro.

Diante de um inofensivo Paulista, o Alvirrubro aperta novamente aos 33, quando Aleílson avança, corta o zagueiro, mas chuta franco, facilitando a vida do goleiro Cristiano. No minuto seguinte, o camisa 11 noroestino volta a atacar pela esquerda, mas chuta de bico pra fora. Em sua última chegada no primeiro tempo, aos 43, Gleidson recebe na área e chuta cruzado à esquerda do camisa 1 do Paulista.

2º tempo

A etapa complementar recomeça da mesma forma, com o Noroeste atacando. Logo aos sete, em escanteio cobrado por Ricardinho, Da Silva cabeceia para defesa de Cristiano.

O Paulista reage. Nas duas oportunidades, André Luis defende: aos 11, em cobrança de falta de Baiano; aos 14, em chute de Hernane.

O Norusca volta a perder chances. Aos 24 minutos, Márcio Gabriel chuta por cima após jogada de Rafael Aidar (substituto de Diego). Quatro minutos depois, o lance mais incrível: Aleílson rouba a bola, avança, dribla Cristiano e perde o tempo do chute; o camisa 11 volta a ciscar na frente do goleiro, mas é desarmado…

A partir daí, a partida fica truncada. E o Noroeste, que até merecia vencer, quase volta com mais uma derrota quando, aos 43, Fabiano conclui por cima jogada de João Paulo. Após o apito final, vaias.

Pós-jogo

Ao microfone do repórter Jota Martins, da 87FM, o técnico Jorge Saran elogiou os jogadores, afirmando que o Noroeste fez um partidaço. Exageros à parte, numa coisa ele tem razaão: o time foi pouco ameaçado. Mas poderia ser melhor…

Segundo a reportagem do Bom Dia Jundiaí, houve confusão nas cadeiras numeradas do estádio Jayme Cintra, com torcedores hostilizando membros da diretoria do Paulista – fala-se em supostas agressões físicas. Sem vencer a quatro jogos, o Galo da Japi também está em crise.

Comentários

  1. Kelly disse:

    O que foi aquele chute do Rafael Aidar???? De cara pro gol, só marcar, ele me faz aquilo… Meu Deus, ta feia a pontaria do Norusca. O time realmente jogou bem e o Paulista pouco chegou… Mas não adianta chega, tem que marcar. Como disse o proprio narrador esportivo da tv, tem atletas do Norusca (não vou citar nomes) que acham mais bonito o drible de que o gol… Limpou a zaga, o goleiro e não finalizou, a impressão foi de que ele não sabia o que fazer com a bola… De certo modo, fora de casa, o empate foi bom… Mas não foi, precisamos da vitória, urgente.

  2. É preocupante a situação. Vc não deve ter ouvido ontem o nosso pós jogo BH, mas o Beto Souza foi entrevistado pelo Thiago afirmando que o nosso elenco é bom. Desculpe, mas o time é sofrível. É elenco de A2 disputando A1. Matheus, Gleidson, Francis, Aidar, Aleílson, não são jogadores para a Série A1. Ontem provaram mais uma vez isso. Divulgaram o Lori Sandri e não acho o técnico ideal para este momento. A minha única esperança que o time continue na série é o nível fraquíssimo do campeonato, pois além do Noroeste tem mais umas 8, 9 equipes que são pífias neste Paulistão.

  3. Roberto Queiróz disse:

    Caro Rafael, tudo bem?

    Concordo em partes com você, discordo quando o assunto é o técnico. O Lori é um técnico sufucientemente capaz desde que a rapaziada ajude, fazendo a parte deles.

    Vejamos : Temos hoje em vários campeonatos estaduais técnicos renomados tendo os seus trabalhos colocados em dúvidas. Isso é normal? Creio que não.

    O que precisamos entender é que o nível dos atletas, muitos desses que se dizem jogadores, é muito baixo, sofrível, como você mesmo disse. São jogadores de empresários. E quando há uma ligação forte entre empresários e dirigentes de futebol, meu caro, técnico nenhum dá jeito. Temos exemplos claros e diários.

    Aposte, ou o Lori “arruma a casa” ou ele vai embora logo, por vontade própria. Eu aposto que ele arrumará a casa.E torcerei para isto.

    E graças à Deus mandaram o “técnico” Sergio Soares embora, do meu glorioso Furacão (Atlético Paranaense). Esse é outro Luciano Dias…Enrolador…

    Resumindo : concordo quando disse do nível dos atletas e do campeonato e discordo quando disse do técnico. Esse é bom.

    Segue a vida!