CANHOTA 10

Coluna Papo de Futebol de 17/1/2011

Coluna ‘Papo de Futebol’, publicada na edição de 17 de janeiro de 2011 no jornal Bom Dia Bauru

A noite tinha todos os ingredientes fora de campo: clima agradável, bom público e muito entusiasmo pela volta do Noroeste à elite estadual. No gramado, o resultado derruba a previsão do diretor Beto Souza, de nove pontos nas três rodadas iniciais. Nesse empate com o Santo André, faltou fôlego a Vandinho e Otacílio Neto – e o treinador Luciano Dias pagou o preço por escalar os dois principais reforços, com menos tempo de preparação. Com Tatá na esquerda, Gleidson (elogioado por suas descidas na pré-temporada) pouco apoiou. Ainda bem que Márcio Gabriel assumiu pelo outro lado e fez seu golaço. Já Vandinho, nem de longe, lembrou as arrancadas de 2007 – enquanto Aleílson voou nos treinamentos.
A correção tática veio tarde: Aleílson na frente (aos 22 minutos) e Altair no meio (aos 37), para ajudar o sobrecarregado Ricardinho (o assistente). Lá atrás, a defesa cochilou nos dois gols, sobretudo o primeiro, em que Richelly recebeu livre na pequena área. De pronto, torcedores manifestaram insatisfação com Luciano Dias, questionado desde a última Copa Paulista. São dois meses de montagem de elenco, muito trabalho e um jogo apenas. Vamos com calma, mas sempre de olho.

Sombra de 2009
O último rebaixamento noroestino ficou marcado pela desastrosa gestão de Fernando Garcia. A partir daquela parceria, o filho do Seo Damião entrou de vez no agenciamento de jogadores – ficando com os direitos de algumas joias noroestinas, como Felipe Barreto e Joãozinho. Hoje, ele não interfere na gestão, como garantiu Beto Souza, mas emplacou sete jogadores de sua empresa (LF Assessoria Esportiva) no elenco do Norusca: o zagueiro Matheus, o volante Marcelinho, os meias Altair, Vandinho e Giovanni e os atacantes Diego Oliveira e Otacílio Neto. Antes de assoprar a corneta, é bom reconhecer: todos têm qualidade.

Manto e estrutura
Não dá para colocar somente na conta do peso da camisa as vitórias tranquilas de Santos e São Paulo em suas estreias. Mesmo com dez dias de pré-temporada – muito menos tempo do que seus adversários –, sobraram contra Linense e Mogi Mirim. Jogadores de grandes clubes já têm uma condição física estabelecida, com todo seu staff de fisiologistas, nutricionistas e preparadores. Após as férias, portanto, fala-se em recondicionamento por lá. Então, aquela conversa de que os pequenos largam na frente por estarem correndo desde novembro, não passa de lenda. Mais do que fôlego, as zebras costumam ter elenco qualificado e, principalmente, entrosado.

Calma, palestrinos!
Bastasse o poder do escudo, o Palmeiras teria vida mais fácil contra o Botafogo, no último sábado. Torcedores reclamaram que os erros são os mesmos de 2010. Claro: o elenco e o treinador são os mesmos! Quando Thiago Heleno tiver condições, Felipão deverá testar o 3-5-2 e, aí sim, tentar dar uma nova cara ao Verdão. E a torcida se pergunta: a grana que iria bancar a vinda de Ronaldinho trará o ídolo Alex? Perder outro leilão – agora para o São Paulo – seria golpe duro para os palestrinos, impacientes desde sempre.

Treino luxuoso
O melhor dos treinos não substitui uma partida oficial, ainda mais com adversário bom. A vitória do Corinthians sobre a Portuguesa foi um ensaio perfeito para a Pré-Libertadores. O jogo de ida contra o Deportes Tolima, da Colômbia, será no Pacaembu, onde será preciso fazer bom saldo. Não chegar à fase de grupos do torneio continental é uma catástrofe sem cogitação. Ainda mais com Ronaldo pronto e motivado no último ano de sua vitoriosa carreira.