CANHOTA 10

Muricy Ramalho não passou de sonho… Mano convidado

Atualizado às 16h36 de 23/7: o Fluminense endureceu o jogo com a CBF, ex-parceiros que são depois de apoiarem Fabio Koff na eleição dos Clube dos 13. Muricy fica no Tricolor carioca, pelo menos até a próxima reviravolta. Mantenho o texto abaixo, no mínimo como curiosidade… E aguardo o nome do novo treinador da Seleção com muita ansiedade. Resta saber ser virá a tempo de convocar na próxima segunda.

22h35: A CBF confirmou convite a Mano Menezes. Que responde na manhã deste sábado em entrevista coletiva. Num dia de tantas furadas, melhor aguardar…

Não foi Leonardo, como bancou a ESPN Brasil ainda durante a Copa. Não foi Mano Menezes, como quase toda a imprensa garantiu, cada um com suas fontes – sinal de que os informantes da bola estão cada vez menos confiáveis ou então Ricardo Teixeira e Rodrigo Paiva andam gostando de pregar peças nos jornalistas.

Enfim, a bola da vez é Muricy Ramalho. E, neste exato momento, às 14h32, nem é oficial. O presidente da CBF aguarda acordo de rescisão contratual entre o treinador e o Fluminense para fazer o anúncio. Mas, homem de palavra como é Muricy, pode cravar.

Muitos jornalistas comemoram a escolha, pela seriedade, por ter currículo. Entretanto, outros tantos, lembrando-se de sua rispidez nas entrevistas coletivas e de seu estilo de jogo pragmático, com placares magros, já se preocupam. Vejamos como será essa relação sempre delicada entre treinador da Seleção e imprensa – ainda mais que sua missão é dura: não perder o hexacampeonato em casa. A ordem é essa memsa: no lugar de ganhar (obrigação), o certo é não perder.

Para não ficar em cima do muro, eu gostei da escolha. Preferia Luxemburo, pelo modo como prepara taticamente suas equipes, a facilidade em explorar todo o talento de um jogador e, até mesmo, ser um grande marqueteiro – talvez Muricy se irrite com a agenda midiática com a qual será obrigado a conviver até 2014. Mas não se pode contestar o currículo e a qualidade do novo treinador.

E por que gostei? Porque ele treina um time para ganhar. Acima de jogar bonito, eu quero ganhar. Mas há chance de uma Seleção treinada por Muricy jogar bem, afinal, ele poderá escolher os melhores. No São Paulo, no Palmeiras e recentemente no Flu, estava limitado a seus elencos. Agora, não. Tem um leque riquíssimo e, estudioso como é do futebol, cara que assiste futebol o dia inteiro, da Copa Paulista à Champions League, não deixará de observar nenhum jogador em boa fase.

Resumindo, então, os pontos positivos e negativos do novo treinador da Seleção Brasileira. Ah! E uma dúvida: vai escalar o time no 3-52 ou no 4-4-2?

Foto de Wallace Teixeira/Photocamera

POSITIVOS
“Aqui é trabalho, meu filho!”: Muricy será um incansável observador, vai respirar Seleção a todo momento. Ele não tem folga, está sempre diante da TV vendo jogos – e deverá viajar o mundo observando, imagino. Dificilmente seremos surpreendidos por alguma convocação ou, pelo menos, ele terá um ótimo argumento para justificar a escolha.
• Muricy não é de fazer média com a imprensa, vai seguir suas convicções. Nesse ponto, parece-se com Dunga. O ex-treinador não agradou nesse ponto. Será que a paciência agora será maior?
• Ex-meia habilidoso que foi, sempre exalta em entrevistas o armador de futebol vistoso e cadenciado, ao mesmo tempo em que lamenta sua escassez no futebol atual. Sinal de que Ganso, certamente, estará em seus planos. Fosse Darío Conca brasileiro, seria seu camisa 10 – já cornetamos entre amigos a possibilidade de ele se naturalizar…

NEGATIVOS
• Muricy não gosta de perder. Isso é bom, mas ele lembra aquele lembra o famoso termo “apelou, perdeu”. Fica arredio ao explicar uma derrota, mas isso faz parte da função – ajudar o torcedor a entender porque o time jogou mal.
• Precisará vencer a desconfiança de que não é bom em mata-mata. Já ganhou Paulistão com o São Caetato e Conmebol com o expressinho do São Paulo. Mas “falhou” em três Libertadores com o São Paulo. São circunstâncias, coisas do futebol, não dá para achar que é incompetente em comandar um time num jogo eliminatório.
• Deverá provar de que não impõe um estilo de jogo previsível, apesar de eficiente. Seus times são taxados de defensivos, velozes, com muito jogo aéreo.

JOGADORES EM ALTA COM O NOVO CHEFE
Muricy gosta de zagueiros e laterais rápidos, volantes de bom passe, meias colaborativos defensivamente – habilidosos ao mesmo tempo – e atacantes que pressionam a saída de bola adversária. Quem joga assim, comemore. É possível que iniciará seu trabalho com jogadores que conhece bem, treinados por ele, além de unanimidades como Ganso. Alguns favoritos à convocação da próxima segunda-feira:
• Mariano
• Miranda
• Richarlyson
• Pierre
• Hernanes
• Diego Souza
• Ganso
• Neymar
• Fred

A conferir. Boa sorte, Muricy!

Comentários

  1. Karina Bueno disse:

    Uma pena não ter dado certo com o Muricy. Gosto dele pacas! Mas do jeito como foi feito não tinha que ser… Sabe que concordo com o Lula Lelé: mandato de 8 anos na CBF!