CANHOTA 10

Vitória do Noroeste sobre o XV de Jaú não empolga

Coluna da semana também fala sobre medo do Norusca sair de Bauru

Texto publicado na edição de 22 de agosto de 2011 no jornal BOM DIA BAURU

Melhorou? Ainda não

Quando o XV de Jaú abriu o placar sobre o Noroeste, ontem, fiquei pensando no título desta coluna, caso a derrota (ou o empate) se consumasse: “Vai ganhar de quem?”. Afinal, com todo o respeito à tradição do clube jauense, o Alvirrubro poderia parar por aqui caso não o vencesse. Até perdeu muitos gols e o goleiro quinzista Rafael estava em manhã inspirada, mas nada que justifique a dificuldade que o time teve — quem pretende lutar pelo título não pode sofrer contra o lanterna. Enfim, os obrigatórios três pontos vieram na bagagem.

Mais uma vez, a molecada decidiu, a exemplo da vitória sobre a Santacruzense: Nathan assistiu Vitor Hugo, no segundo gol. Se na última derrota, para o Penapolense, o técnico Jorge Saran pediu calma a torcedores porque o time era de garotos — o que não é verdade, há muitos experientes entre eles —, desta vez ele foi coerente ao não botar simplesmente na conta do sub-20 a vitória sobre o XV. Pois foi um triunfo também do bom goleiro Nicolas e da segurança e criatividade que Tales deu ao meio-campo. E ao microfone do repórter Jota Martins, na webrádio Jornada Esportiva, fez uma promessa. “O Noroeste ainda vai formar grandes jogadores. Pode acreditar. Entendo a ansiedade, mas vai chegar a hora de os garotos entrarem no time e não saírem mais”, avisou o treinador. Quando isso acontecer, a torcida alvirrubra estará realizada.

O Noroeste tem o segundo turno da Copa Paulista pela frente e precisa melhorar muito. A vitória de ontem não empolgou ninguém.

Sem paranoia
Sempre estranhei manifestações de alguns noroestinos, em mídias sociais, temendo que o Noroeste saia de Bauru. Segundo esse pensamento, a família Garcia aproveitaria a perda de identificação do clube com a cidade para levá-lo debaixo do braço para outra cidade. Para mim, pura paranoia, mas respeito tal preocupação, até porque essas pessoas podem ter alguma fonte privilegiada, enfim.

Paranoia ou não, podem dormir tranquilos, alvirrubros. A resolução que a presidência da Confederação Brasileira de Futebol publicou no início deste mês complicou a vida dos itinerantes. A partir de agora, a CBF tem que aprovar um pedido de mudança de sede e de nome de um clube. E somente o fará mediante “sólidas justificativas”. É subjetivo, mas para times tradicionais parece mais claro, pois entidade fala em seu texto que “inconvenientes à ordem esportiva” motivaram a publicação dessa portaria. A comoção que a mudança do Noroeste causaria já é argumento suficiente para deixá-lo onde está.

O advogado Gustavo Delbin, do Instituto Brasileiro de Direito Despotivo, concorda. “Acho quase impossível que exista uma justificativa plausível para o Noroeste mudar de cidade. O fato de ter tradição esportiva, torcida, conselho deliberativo, estádio próprio, tudo isso dificulta muito a mudança. Note que os clubes que mudaram de cidade não tinham essa identificação. Mas clubes tradicionais não conseguem mais mudar de lugar”, disse à coluna.

Papo de basquete
Quando algum componente do Bauru Basket fala em união fora da quadra, não é balela. Presenciei no último sábado o clima familiar entre diretoria, comissão técnica e jogadores. No evento de confraternização com patrocinadores e imprensa, o Guerrinha das broncas era só mais um brincalhão. O pivô Alex Passilongo mostrou seus dotes de cantor — e não se saiu mal. Até o presidente Pedro Poli soltou a voz num sertanejão das antigas, para a alegria de Douglas Nunes, admirador desse gênero musical. O pivô, aliás, contou como foi enriquecedora sua participação na seleção brasileira. Disse a ele que não entendi até agora porque Magnano o cortou. “Nem eu!”, emendou o camisa 13.

Antes, o time venceu o Rio Claro de roupa nova, feita pela Cambs. A numeração também tem novidades. Pilar herdou a camisa 11 de Jeff Agba, que mudou para o 42. Gaúcho voltou a vestir sua camisa 6. E Luquinha, a partir de agora, é o canhota 10 da equipe.

Comentários

  1. Diogo Ghosn Inácio disse:

    Tomara isso seja verdade!

  2. VALEU BH, É ISSO MESMO EU NUNCA ACREDITEI NESTE PAPO DE MUDANÇA PARA OUTRO LUGAR CANSEI DE AVISAR A RAPAZIADA SOBRE ESTE ASSUNTO AGORA COM DESTE DOCUMENTO DA CBF, A COISA SE CUMPLICA PARABENS PELA LEMBRANÇA A GALERA. GRANDE ABRAÇO

  3. Diogo Ghosn Inácio disse:

    Mudando um pouco de assunto, mas ainda falando de Noroeste: estou fazendo uma pesquisa sobre nosso Norusca e há dois campeonatos em que não encontro em lugar nenhum em que colocação o Noroeste ficou: a série A-2 de 1983 (algumas fontes dizem que o Bandeirante foi vice-campeão, mas o Norusca ficou com pontuação maior na fase final, então acho que o Noroeste foi vice) e os Jogos Abertos do Interior de 2004 (tem lugar que diz que o Norusca ficou em 3º, outros que foi vice, e até pode ter sido campeão). Encontro (poucas) informações diferentes em cada lugar e gostaria que, caso vc descobrisse essas informações, enviasse pro meu e-mail, pois não encontro NADA oficial! Se puder fazer isso, agradeço muito! Caso vc ache algo, mande as fontes que encontrou, para futuras pesquisas que eu for fazer, certo?

    Valeu, BH!

  4. Diogo Ghosn Inácio disse:

    Sem querer abusar muito da sua paciência, eu tbm tenho procurado insistentemente a respeito daquele torneio que o Norusca disputou em Cochabamba em 1964. Em todos os lugares, fala-se apenas em vitórias que o Alvirrubro conquistou naquele torneio, mas não há, em lugar algum, informação oficial se o Noroeste foi ou não campeão deste torneio. É mais uma das coisas que eu não acho em lugar nenhum, então se puder me ajudar nessa pesquisa, ficaria grato!

    Desculpe pelo incômodo, é que eu sou muito insistente nessas questões! Abração!

  5. Diego disse:

    Bom Fernando Tenho uma Opinião Contraria sobre o Assunto da mudança de cidade sobre esses times itinerantes, mesmo que a CBF aprove uma Resolução, quando tratamos desse assunto isso envolve muito dinheiro, Pode existir inúmeros motivos para não tirar o clube, mas sempre os dirigentes dos clubes arrumaram uma desculpinha esfarrapada e a CBF ira engolir ( ” $$$$” ) e acatar a mudança de cidade do Clube, Nada adianta enquanto tivemos corruptos no comando do Nosso Futebol Brasileiro, Grêmio Prudente, Grêmio Barueri, Americana Ltda. , Boa Esporte sempre iram existir em nosso meio futebolístico.

  6. Eu perdi meu time disse:

    Sou de Guaratinguetá, tenho vergonha de me identificar, pelo que aconteceu com meu time (apesar de não ser minha culpa). Até hj a cidade sofre por causa do acontecido, “somos” apaixonados pelo Guaratinguetá, gostaríamos muito que o time voltasse pra sua terra natal. Fizemos o que estava ao nosso alcance pra não perder o time e nada adiantou, sempre o dinheiro fala mais alto. Nós torcedores não temos importancia nenhuma pra eles. Somos apenas pessoas que não sei explicar o motivo pelo qual nos apaixonamos por um time, ele passa a fazer parte de nossas vidas e de uma hr pra outra… Enfim, torço muito pelo sucesso do Noroeste e pra que nunca aconteça dele mudar de cidade. Aproveito o espaço pra mandar um grande abraço pra Torcida Sangue Rubro, tivemos a oportunidade de nos encontrar em Bauru e em Guaratinguetá. Considero-os amigos. Boa sorte ao Noroeste.