CANHOTA 10

Noroeste pode vencer o Palmeiras. Por que não?

Coluna Papo de Futebol desta semana fala do jogão desta quarta no Alfredo de Castilho

Para quem não leu –  ou quer ler de novo – segue a coluna Papo de Futebol publicana na última segunda (7/3) no jornal Bom Dia Bauru.

Vencer o Verdão: por que não?

Ao Noroeste não interessa mais empate, seja em que campo for. Em outras circunstâncias, a igualdade fora de casa contra o então líder do campeonato, Mirassol, seria comemorada. Mas, ainda mais da forma como foi – abrindo 2 a 0 –, o time bauruense só tem a lamentar mais dois pontos perdidos. Situação na classificação à parte, é bom destacar que a equipe jogou bem na partida da última sexta-feira.

O Norusca sufocou o adversário no primeiro tempo e foi pouco atacado. Depois do apagão nos minutos iniciais da segunda etapa – mais mérito do ataque mirassolense do que falha alvirrubra –, o time soube suportar a pressão amarela. Quando não teve jeito, o goleiro André Luis salvou.

A lamentar, mais uma contusão de Otacílio Neto, dúvida para o próximo jogo – a exemplo de Diego. Não concordo com críticas de que o atacante está aderindo ao “chinelinho”. Ele se notabilizou em Bauru exatamente por sua conduta profissional. Quem já conversou com Tatá uma vez na vida sabe de sua obstinação e vontade de estar em campo. Podem questionar a diretoria por sua contratação, mas nunca o caráter desse atleta.

Cinzas verdes
Com a incrível marca de sete empates em 11 jogos, o Norusca não pode se dar ao luxo de perder para o Palmeiras, na próxima quarta de cinzas, nem sob o argumento de o adversário ser um time grande. Precisa fazer valer seu mando de campo. O que, diga-se, será pelo fator de maior adaptação ao gramado, pois a expectativa é de que haja mais alviverdes nas arquibancadas.
Vencer o Verdão, que ainda oscila muito, não será nada de outro mundo. O time da capital já foi líder, mas hoje ocupa apenas o quinto posto após empatar com o fraco Santo André, no Pacaembu. Não cometer faltas na entrada da área, evitando assim os chutes de Marcos Assunção, será boa medida. Outra: não descuidar da marcação de Adriano Michael Jackson no jogo aéreo.
No Alfredo de Castilho, para alívio noroestino, o técnico Felipão não poderá contar com Kleber Gladiador. O atacante Patrik também está fora. Em compensação, são grandes as chances de Valdivia estar em campo.

Palcos vazios
Não tenho muita esperança de um grande público no Alfredão para o duelo contra o Palmeiras. Aquele encanto de ver time grande de perto está diminuindo na mesma proporção em que o preço do ingresso sobe. Exemplo disso ocorreu no sábado passado. Apenas 2.213 pessoas pagaram para ver Oeste x Santos, em Itápolis. Em Lins, apesar dos mais de 50 anos fora da elite, foram somente 6.234 pagantes no duelo Linense x Corinthians. O passeio dos grandes pelo Interior era meu melhor argumento em defesa dos Estaduais…

Centésimo
O Palmeiras poderá marcar seu gol número 100 em jogos contra o Noroeste pelo Paulistão. Em 55 confrontos no Estadual, são 35 vitórias do Palestra, 13 empates e sete vitórias noroestinas. O Verdão soma 99 gols no duelo e o Norusca, 41. As estatísticas incluem partidas das edições de 1956 e 1957 – que não aparecem no Futpédia do GloboEsporte.com –, anos em que houve uma fase preliminar que definia classificados para Série Azul (o Paulistão de fato, para o site) e Branca (repescagem contra o rebaixamento). O confronto em Bauru, portanto, será o de número 56.
Das sete vitórias alvirrubras sobre o Verdão, duas delas foram conquistadas na última década. Em 2007, no Parque Antarctica, por 2 a 1 (gol da vitória de Otacílio Neto, de perna direita, a mesma que errou incrível gol em Mirassol…), e em 2008, no Alfredão, gol de Vandinho e 1 a 0 no placar.

Comentários

  1. Diogo Ghosn Inácio disse:

    A respeito dos baixos públicos, mesmo contra os grandes, a culpa é toda do preço do ingresso! Claro que quando a torcida não tem esperanças de vitória do seu time, ela não vai, mas, não é o caso, é só baixar o ingresso e o público volta na mesma proporção! Estava no jogo em Itápolis e há três ÓTIMOS motivos para o estádio não encher, como foi contra o Palmeiras lá: 1º e mais importante: O PREÇO! 2º e também decisivo: a pequena torcida do Santos no interior (nos jogos do Trio de Ferro, SEMPRE vemos estádios lotados, mas a torcida do Santos não consegue lotar do mesmo jeito, e como o Sanots é um time simpático, os próprios torcedores da casa não ficam muito animados pra ir, já que não torcem contra o Santos)! E, por último: QUE TEMPORAL DEU EM ITÁPOLIS, TEM QUE GOSTAR MUITO PRA TOMAR CHUVA POR MAIS DE 2 HORAS, SEM PARAR, E AINDA VER O TIME PERDER! Permita-me acrescentar um 4º motivo importante: Neymar, Elano e Léo não jogaram e, sem os 3 principais jogadores do Santos, não havia muita motivação em ir pro jogo!!!

  2. João Carlos disse:

    Impossível frequentar o estádio com os ingressos nesse preço…!!! Assinei o PFC, pago R$ 50,00 por mês, assisto todos os jogos que quero, em casa, assando uma carne com meus amigos e ainda cervejando… É isso que querem os Dirigentes do Futebol.?? É isso que irão ter.!!
    Avante Norusca.

  3. Alan Goulart disse:

    Palmeiras 4×0 hoje!
    3 Gols do Michael Jackson (com Felipão dançando) e um do Valdivia….