CANHOTA 10

Coluna da semana: Noroeste na simplicidade

Texto publicado na edição de 9 de janeiro de 2012 fala da nova realidade noroestina, do Bauru Basket e homenageia um grande colega

Norusca pés no chão

Simplicidade é a tônica do Noroeste para esta Série A-2. A fonte secou, os dias de luxo ficaram para trás. Nada de Águas de Lindóia: a pré-temporada alvirrubra será na vizinha Pederneiras. Os reforços também vieram na linha da modéstia, a ponto de chegar jogador da segunda divisão de Pernambuco – e abrir mão de peças caras, como o goleiro André Luis e o lateral Gleidson. A coluna deverá acompanhar o primeiro jogo-treino, contra o XV de Jaú, na próxima quarta, para avaliar melhor o time que se prepara para tentar voltar à elite. Expectativa positiva sobre o zagueiro De Lazzari, o volante Garroni e principalmente o meia Velicka, que poderão ser a espinha noroestina.

Papo de basquete
Estive ontem no Sesc, acompanhando evento muito bacana do Itabom/Bauru, que levou todo o elenco para interagir com o público. Eles ensinaram fundamentos e fizeram partidas de exibição com a molecada, o que rendeu muitas risadas e aplausos. Além do show que vêm dando no NBB, os guerreiros sabem como ninguém conviver com a comunidade. “Os jogadores fazem com prazer, interagem, curtem, brincam. É uma troca de energia muito grande. Nossa equipe é fantástica, tanto dentro quanto fora da quadra”, destacou o técnico Guerrinha.

A três partidas do fim do primeiro turno no NBB (contra Minas, Brasília e Liga Sorocabana), o treinador projeta duas vitórias para o Bauru Basket terminar no G-4 e garantir vaga no torneio Interligas (contra equipes da Argentina).

A coluna também falou com o ala Weliton, reforço que logo deverá estrear na equipe. “Espero a oportunidade do Guerrinha para dar meu máximo. Eu gosto muito de defender e no ataque meu ponto forte é o corte, infiltrar e dar assistência ou partir para a cesta”, apresentou-se.

Gratidão
Na última semana, como Cristina Camargo reportou com muita sensibilidade aqui no BOM DIA, foi-se embora o jornalista Celso Agostinho. Eu sou apenas mais um dos profissionais com quem ele compartilhou conhecimento, mostrou caminhos, incentivou. Na minha trajetória, entretanto, ele não é mais um. Foi uma grande referência, um apoiador, alicerce de degraus que já subi. Palmeirense de bom papo de bola, vai fazer muita falta. Obrigado por tudo, colega.