CANHOTA 10

Presidente da Paschoalotto: vínculo com Bauru Basket deve ser de longo prazo

Rodrigo Paschoalotto, presidente da Paschoalotto Serviços Financeiros, apareceu espontaneamente na caixa de comentários do Canhota 10 para revelar os novos co-patrocinadores do Bauru Basket, prospectados por ele – sinal da relevância do blog no cenário bauruense. Pois bem: aproveitei o contato para fazer breves perguntas ao empresário que está apostando nos guerreiros e ele reafirmou a intenção de fazer longa parceria com o basquete bauruense – além de explicar melhor como uma empresa pode apoiar o esporte com parte de seu Imposto Sobre Serviços (ISS). Confira.

O contrato com o Bauru Basket é de um ano, nem está em vigência ainda, mas dá pinta de ser duradouro. É a intenção de vocês seguir por muitos anos?
“O contrato é inicialmente de um ano, mas nossa intenção é que seja de longo prazo. VAMOS TENTAR RENOVAR SEMPRE ALGUNS MESES ANTES DE TERMINAR A TEMPORADA, ASSIM O TIME E A DIRETORIA TERÃO MAIS TRANQUILIDADE PARA TRABALHAR.”

Você citou que uma empresa pode apoiar o time pelo Imposto Sobre Serviços. Poderia explicar melhor para os interessados?
“As empresas podem destinar 5% do ISS que pagariam ao município. Existe uma lei para isso. Exemplo: a empresa que vai pagar R$ 20 mil no mês pode destinar R$ 1 mil e só pagar o restante (R$ 19 mil) para o município. Imagine se todas as empresas de Bauru fizessem isso, poderíamos ter bons times não somente no basquete, mas em outros esportes também.”

Montar um time forte. Desde o início você deu essa esperança à torcida. Pode-se esperar mesmo grandes reforços?
“A diretoria do Bauru Basket está trabalhando para isso. Nossa parte é patrocinar, ajudar a buscar novos patrocínios e torcer.”

Você garante que não vamos mais ouvir o Guerrinha reclamando de orçamento? (risos)
“Na minha opinião o Guerrinha é o melhor do Brasil, ele é muito competitivo e quer sempre o melhor para o time. Então, se ele reclamar é para o bem do time. Tentaremos ajudar no que for possível.”

Atualizado: Guerrinha leu o post e deixou recado na caixa de comentários:

“Fernando,
Sempre fui muito profissional na minha condução do projeto BBT. Infelizmente você não sabe diferenciar “reclamar” de mostrar a nossa “realidade ” perante as equipes que enfrentamos de ponta em igualdade ou como o Rodrigo respondeu a você, almejar melhores condições ao projeto. Hoje temos basketball devido essa luta dentro e fora da quadra a esse nosso espírito competitivo de sempre fazer muito com pouco. Sucesso às suas matérias. Guerrinha”

E eu respondi:

Por isso o “risos” no final da pergunta, Guerrinha. Respeito demais sua luta e o basquete só está forte agora por sua causa. É que a a tônica da chegada da Paschoalotto foi exatamente dar mais tranquilidade pra você focar na quadra. Me desculpe se fui mal compreendido. Abraço e bom restinho de férias.

Comentários

  1. Guerrinha disse:

    Fernando, Sempre fui muito profissional na minha conducao do projeto BBT..Infelizmente você não sabe diferenciar ” reclamar” de mostrar a nossa ” realidade ” perante as equipes que enfrentamos de ponta em igualdade ou como o Rodrigo respondeu a vc, Aumejar melhores condições ao projeto. Hoje temos basketball devido essa luta dentro e fora da quadra a esse nosso Espirito competitivo de sempre fazer muito com pouco. Sucesso as suas matérias Guerrinha

  2. André Luiz Pinto disse:

    Muito interessante a possibilidade de destinação do ISS ao esporte! Abre oportunidades para as empresas e para várias categorias serem apoiadas!
    A expectativa quanto a formação de uma equipe mais forte para a temporada 2012/13, anima muito a torcida, que as novas peças cheguem e complementem as que permanecem!
    E torço para que o Gaúcho e o Mosso permaneçam!