CANHOTA 10

Itabom/Bauru x Brasília: fala, Guerrinha!

Já ouvi de mais de uma pessoa do meio: Guerrinha é o melhor entrevistado do basquete brasileiro. Tem sempre boas tiradas, não mede palavras, fala com o coração. Fazia tempo que eu não o entrevistava com um pouco mais de tempo. Só não rendeu mais porque, terminado o treino, ele estava de saída para a academia. Mas rendeu aspas para a matéria do Basketeria e ainda mais que publico aqui no Canhota 10. Fala, Guerrinha!

O time está zerado fisicamente depois dessa folga?
“Nunca está. O Gui teve uma batida no joelho e ficou três dias sem treinar. Vamos observar, acho difícil ele jogar. Não é nada sério, mas tem dor. Ele está sendo avaliado constantemente. O Douglas ficou quatro dias afastado semana passada por conta de uma contratura muscular. Então não deu para treinar tudo o que deveria, mas pelo nosso histórico, está cento e dez por cento… Série de playoff é assim mesmo, começa de um jeito, machuca.”

Expectativa para o confronto
“Esperamos fazer uma boa série. Sabemos da qualidade de Brasília, da experiência. Um time que conhece os atalhos de um playoff. Temos que bloquear esses atalhos com muita boa vontade e disposição em quadra.”

Treino x jogo
“O momento da carreira dos nossos jogadores pede treinamento. Já Brasília pode treinar menos e ganhar condição no jogo. Nosso time precisa treinar para corrigir, faz parte de um processo. Esperamos compensar a falta de ritmo de jogo com força física e energia jogando em casa.”

Problema fora de quadra (saída da Itabom) vai ficar fora da quadra
” Temos que fazer, independentemente de qualquer situação, sempre o nosso melhor: representar Bauru, a comunidade, a região, como se estivesse tudo cem por cento.” 

A busca por apoio
“O ideal seria ter um patrocinador assinado por muitas temporadas para estabelecer um ciclo. Mas todo ano temos que correr atrás. Somente Franca tem esse patrocínio forte, da Vivo, Brasília vai renovando por causa dos bons resultados, Pinheiros tem um clube que tem uma contrapartida de oferecer projetos à Sky, São José usufrui de uma lei esportiva municipal… Hoje, estamos bem melhores do que três meses atrás, com finanças equilibradas. Nosso problema é continuidade. Algumas empresas já sinalizaram positivamente e temos um ou duas semanas para saber em que nível vai ser o projeto para a próxima temporada. Então, esperamos que as coisas aconteçam da melhor forma possível. Está sendo feita uma campanha publicitária muito legal, direta, com várias opções, para todos os tipos de investidores, desde o torcedor de arquibancada à cota master de patrocínio. Agora, é questão de resposta da cidade de Bauru. Estamos fazendo a nossa parte.”