CANHOTA 10

Itabom/Bauru: primeiro ato da temporada

Cerca de 150 pessoas compareceram para reencontrar o Bauru Basket

Guerreiros vencem jogo-treino contra Liga Sorocabana

Na tarde dessa quarta-feira (27/7), o Itabom/Bauru tirou a ferrugem e encarou seu primeiro teste para a temporada 2011/2012. Em jogo-treino realizado no ginásio da Luso, venceu a Liga Sorocabana por 87 a 67. O primeiro tempo foi bastante pegado, o placar apertado, depois o time bauruense se soltou mais e construiu a vantagem.

Difícil analisar com apenas um jogo-treino, atletas se conhecendo… Nada de conclusões, mas vamos a algumas impressões.

Dos reforços, Gaúcho foi o destaque. Logo no início da partida (que teve quatro períodos de 12 minutos), o ala estava solto, confiante – depois, até por conta do rodízio, foi ficando mais discreto. Fechou com 14 pontos. Certamente, será importantíssimo para o time.

Já o trio de novos pivôs não teve uma tarde inspirada. Justiça seja feita a Mosso, que ficou poucos minutos na quadra e deus dois bons chutes – um de três e outro de dois, totalizando cinco pontos no jogo. Poderá fazer um bom arroz com feijão. Já Alex Passilongo e Andrezão ficaram devendo. Alex não pontuou, André fez apenas um em lance livre e, defensivamente, também se mostraram dispersos e tomaram algumas broncas de Guerrinha. O treinador, entretanto, compreendeu se tratar de uma estreia, ressaltando ainda que Alex vem treinando muito bem. Já André discutiu com Guerra em certo momento – tudo dentro da forma dele trabalhar, na base da bronca, mas também permitindo que o outro lado se manifeste.

Uma promessa de Guerrinha para esse Paulista que já se mostrou satisfatória foi a alternativa de usar Larry Taylor na posição 2. Thyago Aleo e Luquinha aproveitaram a oportunidade e anotaram, respectivamente, 13 e 15 pontos. O maior destaque é o brio de Lucas na marcação, com seu movimento de braços e pernas que lembram os de um caranguejo – como rouba bola, o moleque! Vai dar o que falar.

Já o ala Gui, de quem espero uma temporada promissora, esteve tímido. Mas Guerrinha prometeu que o camisa 9, realmente, terá muitas oportunidades nesse semestre. Apesar de almejar um ala para o NBB 4, confia nele, em Pilar e Gaúcho para ter um revezamento forte no setor.

Já nossos gringos foram, ao mesmo tempo, discretos e eficientes. Larry mostrou sua genialidade em alguns momentos, mas não forçou – fez nove pontos. Jeff (sete), recém-chegado e em forma física aquém dos colegas, usou a experiência e o entrosamento para compensar.

O cestinha de Bauru foi Fischer, com 17 pontos. Foi discreto, mas segue com arremesso calibrado.

A seguir, algumas considerações de Guerrinha:

Análise do jogo-treino
“Foi espírito de jogo, isso é importante. Um jogo pegado, pesado defensivamente, os dois times marcam forte. Fizemos bastante revezamento. Até dava para encaixar um time, mas o ideal era mesmo todo mundo rodando pra dar uma quilometragem. As duas equipes estão no caminho certo.”

O que falta melhorar
“Claro que precisa melhorar muita coisa. É início de trabalho. Qualquer avaliação técnica e tática é muito prematura. Mas a equipe está com disposição. Tivemos destaques individuais, Luquinha, Thyaguinho… O Fischer jogou do jeito dele, Larry também. O Jeff chegou segunda… E os meninos novos sentiram um pouco a estreia, o Alex e o André. Já o Gaúcho foi bem. Vamos começar o campeonato abaixo, mas o negócio é treinar e jogar.”

Será a temporada de Gui e Lucas?
“O Gui poderia ter desenvolvido um jogo melhor, está ainda muito em dúvida. Luquinha e Thyaguinho jogaram mais soltos, já era para o Gui jogar mais solto também. Temos que ter o cuidado para não pressioná-lo. Naturalmente ganhará o espaço dele. A tendência é ele ganhar mais espaço, mas isso vai depender dele e dos jogos.”

Discussão no banco
“Eu não cobro nada que não dou. Temos uma comissão técnica muito boa, damos um trabalho muito legal e cobramos em cima disso. Ao mesmo tempo, estive ausente ontem e o Larry me contou que eles mudaram o nome de uma jogada. Eu disse tudo bem. É legal essa participação do jogador, argumentar, isso é decisivo. É muito bom quando o jogador assume, compra o time. O time não é do técnico, é de todos. Todo mundo pode argumentar, aí vamos ver quem tem o melhor argumento.”

Larry na posição 2
“O Larry pode jogar de 2, depende do jogo. Luquinha e Thyaguinho desenvolveram um bom jogo, é uma ótima opção jogar com dois armadores, principalmente em final de quarto, para ter mais controle de jogo. Temos várias opções e quem vai determinar quem vai jogar, vai ser o jogo, que vai exigir algumas coisas e os jogadores terão que ter recursos para reagir a elas. Hoje, eu poderia ter mantido alguns jogadores que estavam bem mais tempo em quadra, uns que não foram bem, menos, mas o objetivo agora é uma maior participação, sem se preocupar com o resultado.”

Amadurecimento de Gaúcho
“O Gaúcho está mais focado, ele foi muito bem hoje para um primeiro jogo, mas precisa melhorar fisicamente. O Gaúcho, a exemplo do Pilar, pega a bola e já quer decidir. É uma ansiedade muito grande e às vezes o jogo está pedindo outra coisa. Mas estamos de olho. O Pilar melhorou muito da [excursão na] China pra cá, ele vai fazer yoga após uma orientação nossa. Não pode tirar essa intensidade, essa agressividade dele, o jogador tem que ter energia, mas tem que trabalhar o outro lado.”

Foto na homepage de Cristiano Zanardi/Agência Bom Dia

Leia mais: o pacotão de otimismo do Bauru Basket

Comentários

  1. Valeu Canhota, bela reportagem!!!!!Abç

  2. Kleber disse:

    Excelente análise!!!