CANHOTA 10

Bauru Basket se despede do ginásio da Luso com vitória tranquila

Foi um jogo bem esquisito, é verdade. Apagão no início do primeiro quarto, cesta contra – isso mesmo, Pilar se confundiu com um lado e anotou dois pontos para a Liga Sorocabana! -, e, como de costume quando os guerreiros enfrentam um time fraco, a partida vira pelada em alguns momentos. Foi um tal de bola pipocando na mão dos jogadores, erros bisonhos de passes, faltas um pouco mais imprudentes – pode, Arnaldo? – do que o habitual. De qualquer forma, ficou marcada como a última partida do Bauru Basket no ginásio da Associação Luso Brasileira, com direito a discurso emocionado do presidente Joaquim Figueiredo, em agradecimento – seguido da simpatia do Seo Zé, convocando a torcida a migrar para a Panela de Pressão.

Bauru venceu por 104 a 59 e fechou o primeiro turno em terceiro, com 11 vitórias e três derrotas. Classificado para o Interligas pela primeira vez.

Durante a transmissão da partida, o Jornada Esportiva ouviu profissionais da Recoma (empresa responsável pelas reformas de teto e piso), que garantiram a quadra da Panela entregue antes do dia 9 de fevereiro – data do jogo contra o Flamengo. Está nas mãos da Semel, então, a responsabilidade de deixar o palco apto para essa grande festa. Questionado pelo repórter João Paulo Benini sobre o prejuízo técnico de enfrentar o Rubro-Negro em um piso desconhecido, após pouco tempo de treinamento na nova arena, Guerrinha viu coerência na preocupação de JP, mas disse que é preciso pensar no projeto neste momento, pois considera ser importante dar esse passo adiante, ainda mais com a grandeza do adversário.

Fischer foi o cestinha do jogo com 29 pontos (e 9 rebotes, quase um inédito duplo-duplo!). “Acho que ele nunca fez isso na vida. Nem com a mãe dele fazendo o scout!”, brincou Guerrinha.

O Gatilho de Ouro ainda teve a honra de fazer a última cesta do ginásio, que em breve deverá ir ao chão. “Foi emocionante. Minhas melhores lembranças do basquete estão aqui dentro desse ginásio. É uma pena. A torcida fica muito próxima, conheço muitos torcedores por nome, somos convidados para os aniversários dos filhos. Mas, pelo menos a última bola foi de três, tinha que ser, vai ficar pra sempre…”, disse o camisa 14.

Sobre a Panela, ele espera contar com mais gente apoiando o time – e conhece a pressão de lá. “Já joguei muitas vezes lá, na época da Hebraica. Contra o Tilibra era dureza, a gente jogava, jogava e olhava para o placar… 20 pontos atrás. É um ginásio intimidador, a torcida de Bauru sempre acompanha. Vai ser um grande momento do basquete da cidade, espero que seja mais um degrau que possamos subir, com mais torcida, mais bilheteria. Muita coisa vai acrescentar”, comentou.

Perguntei ainda a Fischer sobre o nível da partida, do adversário, sobre como o time conduziu a vitória tranquila. “Por ser estreante no NBB, Sorocaba está fazendo uma ótima campanha, já venceram equipes grandes. Mas não deixamos eles jogarem, não permitimos que desenvolvessem tudo o que podem. Mas é claro que, com a folga no placar, tentamos alguma jogada diferente, que numa situação normal não tentaríamos”, concluiu.

Outros destaques no scout de Bauru: Larry “discreto” (7 pontos, 9 assistências e 4 roubadas), Thyago Aleo (11 pontos e 6 assistências) e mais um duplo-duplo de Jeff Agba (16 pontos e 10 rebotes). A seguir, algumas fotos do confronto e, mais abaixo, a habitual entrevista com o técnico Guerrinha.

Douglas Nunes em lance livre: 14 pontos no jogo (3/4 em chutes de três)

Aleo marca o arisco norte-americano Dawkins, que se desdobrou em quadra (18 pontos em 41 tentados)

Jeff Agba no rebote: ele está numa temporada inspiradíssima e já caiu as graças da imprensa especializada Brasil afora

Já o Jeff deles, Trepagnier (que já jogou no Denver Nuggets, na NBA), anotou 18 pontos (metade em chutes de três) e tomou um toco fantástico de Andrezão

Casa cheia: torcida lota uma partida que, normalmente, seria de menor interesse, para se despedir da Luso

ENTREVISTA COM GUERRINHA

A cesta contra de Pilar (pergunta de um colega do Jornal da Cidade)
“Do Pilar você pode esperar tudo! Já entramos num jogo, uma vez, com quatro em quadra e o Pilar no banco… Ele é desligado, mas a intensidade e a vibração dele na quadra contagia.”

Bauru teve duas derrotas lamentadas, daquelas que poderia ter ganho (Uberlândia e Brasília). Se vencesse, seria o líder com folga. Isto é: Bauru é um time forte que pode sonhar com o título do NBB?
“Existe temporada regular e playoff. Temos uma equipe muito coesa, que trabalha passo a passo, com foco, que mantém a concentração. Algumas equipes não têm esse trabalho, apesar do potencial. Quando chega o playoff, as equipes com jogadores de categoria, vêm com a mesma concentração que a nossa e têm mais experiência. Não vou ficar aqui rezando a cartilha, mas isso faz a diferença. A gente espera que a cada campeonato possamos dar um passo à frente, melhorar. Fico muito feliz de ver que o Fischer, que quando chegou aqui só tinha arremesso, hoje marca, dribla, dá assistência. Dá alegria ver o Gui, que foi dispensado de Garça porque errou uma bandeja, hoje é uma realidade, que com certeza, se continuar com a mesma humildade e trabalho, pode ser convocado para a Seleção Brasileira no futuro. O Jeff é um bom jogador, mas demos uma ‘repaginada’ nele para jogar no basquete brasileiro. Todos que vêm pra cá crescem. Quem não cresce, a gente libera e traz outro.”

Quimsa, da Argentina, Leones, do Chile, e Brasília. Que análise faz do grupo bauruense na Liga das Américas?
“Nesse nível, não tem muita escolha. Nossa vantagem é jogar em casa. Temos condições de classificar para a segunda fase e ficar entre as oito melhores equipes da América, mesmo com uma equipe que nunca disputou um campeonato desses. Mas estaremos com casa lotada, com vibração. E o time está bem treinado, você sente que está sobrando fisicamente, tecnicamente, taticamente. Dá gosto de ver. Parece o meu Santos jogando!” 

Comentários

  1. E sempre tive a vontade de conhecer a Luso,pena q nem tive oportunidade disso,isso vou me lamentar muito!
    vai deixar saudades a Luso!
    E agora que venha o Panela de Pressão fazer número pra Bauru que nem em outros anos!
    abraço
    Igor
    meu blog: http://igoresportes.blogspot.com/ e no twitter @blogdoigor05

  2. Guilherme disse:

    O fischer já fez um double double em Bauru, não lembro contra quem foi e nem quantos pontos ele fez, mas pegou 14 rebotes, nunca esqueci, abraços valeu

  3. karina bueno disse:

    e boa sorte pro time na casa nova!!

  4. Rafael Placce disse:

    Na primeira saída do time da Luso para a Panela, o primeiro jogo também foi contra o Flamengo. Panela lotada pra ver o Tilibra bater o favorito Flamengo, de Oscar.